RESSACA DE ELEFANTE

Projeto Coisa Fina_Foto de F  Pepe Guimaraes

Os dilemas sobre os caminhos a serem tomados para que um movimento artístico ganhe maior projeção causaram uma crise no Movimento Elefantes, com a saída das big bands Soundscape e Reteté, que criticam o movimento por supostamente seguir o caminho comercial em detrimento da música. Uma das mais importantes iniciativas para difundir a música instrumental, o Elefantes perdeu seu quartel-general no início de 2013, uma vez que o Teatro da Vila, na Vila Madalena, foi fechado. O Elefantes conseguiu fazer um acordo com o Centro Cultural Rio Verde por dois meses, com pagamento de ingresso, e não mais o sistema usado anteriormente, do pague o quanto vale. Os shows começarão em abril. E o Elefantes luta para fazer com que o público compareça e conseguir sobreviver frente a atual crise.

Marcell Ortiz em mega-hertz

Marcell Ortiz foto de Fábio Hurpia

O Multi-instrumentista Marcell Ortiz se apresenta no projeto Sons do Brasil, na livraria Painel Cultural, com as músicas do seu DVD gravado em 2010 “Sintonia”. São 12 composições que mesclam momentos de músicas instrumentais, vocalizes e canções. “Sintonia” faz a fusão de jazz, funk, soul, maracatu e samba. O trabalho tem tudo para ser reconhecido. Ele sempre se inspirou no trabalho do próprio Itamar Collaço, Marcus Miller, Jaco Pastorius, Arthur Maia e Nico Assumpção. E também traz no peito os sons de bandas como Incognito e Spyro Gyra. E fez a sua sintonia em alta frequência.

Vinicius Calderoni abre os paladares de sentidos

Vinicius Calderoni2

Quebrar a hegemonia dos sentidos da cultura de massa e a narcotização causada pelo fluxo de informações que jorra da mídia e redes sociais já não seria um ato político suficientemente forte para se considerar a arte engajada? A resposta é positiva, especialmente em se tratando de Vinicius Calderoni, que acaba de lançar o CD “Para abrir os paladares”, uma trilha sonora sobre a importância da coletividade na resignificação do ser e seus sentidos. O CD será lançado em show no domingo (24/03) no Itaú Cultural, às 19h, com entrada franca.

Silvia Figueiredo se apresenta no Sons do Brasil

Silvia Figueiredo

O Sons do Brasil apresenta nesta sexta-feira (15/03) o show MPB do Clássico ao Pop, que faz uma viagem sonora da cultura musical brasileira entre as décadas de 1920 e 1990, apresentando ao público desde “Abra Alas”, de Chiquinha Gonzaga até “Vamos invadir sua praia”, do Ultraje a Rigor. O show será realizado na livraria Painel Cultural, no Brooklin, em São Paulo às 21h. No palco estarão a cantora Silvia Figueiredo, o violonista Cláudio Santana e o percussionista Julio Dreads.

Carambolá faz homenagem a Moacir Santos

Carambolá-Ensaio-Aberto

O octeto Carambolá, liderado pelo guitarrista e compositor João Nepomuceno, faz show sábado (09/03) no Jazz nos Fundos, em São Paulo, fazendo uma dupla homenagem ao maestro Moacir Santos. Além de tocar as músicas do disco “Coisas” (1965), a banda apresentará a música inédita composta por Nepomuceno inspirado pela obra de Moacir Santos.

Flávio Bala interpreta Noel Rosa com romantismo

Flavio Bala Noel Rosa ao Entardecer

É no ventre livre da cultura brasileira que o saxofonista Flávio Bala foi buscar inspiração para gravar as músicas do disco “Noel Rosa ao Entardecer”, que será lançado sexta-feira (08/03) pelo selo Sesc. Toda a boemia do poeta da Vila foi traduzida para a contemplação de um por de sol, na mais suave das interpretações. Flávio sussura no sax alto e soprano nove músicas do compositor carioca em arranjos que flertam com o jazz sem perder a essência do samba. “Queria fazer um trabalho e sair da formação de regionial, sem perder o samba. Só não colocamos cavaquinho e violão de sete cordas. Foi uma pequena mudança. Queria fazer algo com a minha cara”, explica o músico em entrevista por telefone.

Maga Lieri volta a cantar com leveza de espírito

Maga Lieri

Ouvir um cantor é como ter um grande amigo, assim como ler um autor de um livro. Existe sempre aquele que, em determinadas situações da vida, aconselham o ouvinte ou leitor na retomada de um caminho que parece ter sido interrompido pela tristeza extrema. A cantora, produtora e ex-advogada Magali Bocchiglieri, que abreviou seu nome para Maga Liere aconselhada pela amiga Adriana Abujanra, ficou um ano e dois meses sem cantar após sofrer todo o ano de 2012 de uma depressão que a impedia de deixar seu quarto, de cantar, ouvir música. Sexta-feira (08/03) ela volta a deixar fluir sua música com a ajuda de muitos amigos e músicos, como Marina Lima, que pela sua história de superação, postura e letras ajudou a cantora a libertar a sua voz. Maga cantará três músicas da cantora e canções do seu segundo disco “Bem Acompanhada”, na qual reforçou suas raízes na black music. O show será na livraria Painel Cultural, no Brooklin, pelo projeto Sons do Brasil.

Concerto celebra provocadores do século 20

Simone Menezes__cred Rodrigo Cancela

A assessoria de imprensa da Orquestra Sinfônica da Unicamp informa que ocorrerá na quinta-feira (07/03) na Casa do Lago, em Campinas, concerto que será regido por Simone Menezes para mostrar a intrigante e rica produção da música contemporânea. A entrada é franca. “O concerto tem a proposta de trazer ao público um olhar sobre o período de transição que fomentou a composição do século 20. São obras com forte conexão entre si, e linguagens musicais completamente distintas que criam para o público um rico panorama da estética contemporânea”, explica o release.

Compositor cheio de graça

Emiliano Sampaio

Emiliano Sampaio tem o tempo da comédia. Muito de sua ironia, seu deboche em alto bom estilo, desagua em sua música, com surdinas nos trompetes e trombones em algumas músicas até um debate entre sax, trompetes e trombones ao estilo Ceagesp em um hip hop dos mais funkeados. No concerto realizado no dia 25 de fevereiro, no Centro Cultural Rio Verde, o compositor e guitarrista fez a alegria da platéia ao apresentar as músicas que compôs na Áustria, após um semestre estudando na Universidade de Música e Artes Kunst Graz (KUG). Foram apresentadas cinco composições inéditas, que reforçaram a importância de Emíliano Sampaio para a história da música brasileira. “O bom humor realmente eu gosto,,, música muito séria o tempo todo é muito cabeçudo pra mim, se é que me entende”, responde o músico em troca de e-mail.

São Paulo ganha milonga com música ao vivo

Jogando Tango1

Apesar da característica popular, o tango tem um ar quase erudito, extremamente ligado à cultura argentina. E vem ganhando adeptos no Brasil pela paixão que suscita no coração dos dançarinos. Em São Paulo, os amantes da música argentina têm uma série de bares para dançar, mas quase sempre ao som de CDs, uma vez que seria muito caro reunir músicos que toquem o gênero, que exige formação muitas vezes erudita para executá-lo. Mas o tango conseguiu mais uma importante vitória no Brasil: uma vez por mês haverá milongas, que são bailes de tango, com música ao vivo e com direito a uma aula inicial de dança no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo. O primeiro evento ocorrerá domingo (03/03), às 20h.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal