Relampejos de sinapses em “Não nem nada”

Não nem nada

Estreia nesta sexta-feira (29/08) “Não Nem Nada”, a quinta peça da Cia Empório do Teatro Sortido, criada em 2010 pelo músico, cantor e diretor Vinicius Calderoni e pelo cineasta Rafael Gomes. É a terceira peça que a Cia realizada em 2014 e o segundo texto autoral, marcando a estreia de Calderoni como encenador. O grupo ganhou grande destaque logo no início da sua criação com a peça “Música para cortar os pulsos”, que ganhou o Prêmio APCA de Melhor Peça Jovem de 2010. A Cia, reunida com o grupo 5 a Seco, do qual Calderoni também é integrante, ainda encenou em 2012 “Cambaio (a Seco)”, numa releitura do musical de Chico Buarque e Edu Lobo, com texto de Adriana Falcão e João Falcão.

Pitanga em Pé de Amora e 5 a Seco revigoram a canção

Pitanga em pé de Amora CD

Muito já se falou sobre o fim da canção. E, mais uma vez, dois grupos jovens dão prova que a canção está mais viva do que nunca, mostrando que muita gente está errada ao reclamar que não há nada de novo e de bom lançado depois dos grandes ícones da MPB, como Chico Buarque, Milton Nascimento, Alceu Valença, Gal Costa, entre outros. Tanto o grupo Pitanga em Pé de Amora quanto o 5 a Seco estão lançando seus segundos trabalhos autorais, com uma lista imensa de boas canções, trazendo desde os mais puros ritmos brasileiros à fusões com o rock e a música latinoamericana. “Pontes para Sí”, do Pitanga e Pé de Amora, será lançado no dia 13 de setembro no Auditório Ibirapuera. “Policromo”, do 5 a Seco, será lançado no dia 7 de setembro, no mesmo auditório.

Fronteiras que desafi(n)am os sentidos

foto antonio scarpa - ascom unicamp

Imagine um concerto multimídia com intervenções em todo o espaço, mesas “transformadas” em instrumentos musicais e computadores que dialogam com sax, flauta, teclado e percussão. A parafernália sonora é o fio condutor do espetáculo “Livre Digital: Fronteiras Musicais Tecnologias que desafi(n)am os sentidos”, que será realizado no bar/restaurante Almanaque Café no dia 28 de agosto, às 21h. “Livre Digital” tem curadoria e direção musical de Jônatas Manzolli e Stéphan Schaub, ambos da Unicamp, e encerra o 1º Colóquio Franco-brasileiro de Análise e Criação Musicais com Suporte Computacional, realizado na Unicamp pelo Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora (NICS), em parceria com a Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (FEEC), Instituto de Artes da Unicamp (IA) e Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural (Ciddic).

Delia revê o público em show com a alegria da criação

Delia

Após uma maratona de musicais participando como diretora ou arranjadora, Delia Fischer apresentará em show no Rio de Janeiro, no dia 21 de agosto, músicas de seus CDs “Antonio” (1999), “Presente” (2010) – que conta com as participações de Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal e Ana Carolina – e “Saudações Egberto” (2011), com participação especial de Paulinho Moska e Gismonti. Além das músicas desses três CDs, Delia poderá ainda apresentar algumas músicas que farão parte do seu quarto CD autoral, com previsão para ser lançado em 2015.

Elizabeth Woolley e os mestres do jazz na Central das Artes

Woolley

Três amigos, três artistas escolhidos pela música para representá-la. Não se trata de um trio, mas uma trindade musical que apresenta criatividade, leveza, liberdade de expressão e a honestidade musical formado pela cantora e compositora Elizabeth “Guzzi” Wolley , Bruno Migotto (contrabaixo) e Djalma Lima (guitarra) e a participação especial de Gustavo Bugni (piano) apresentarão standards de jazz na Central das Artes, localizada no bairro das Perdizes na quarta-feira, 20/08, às 21h00

Fênix renasce num momento de efervescência dos duos no Brasil

Duo-Fênix

A música “Na Nuvem” é a mais nova composição do Duo Fênix, que após 25 anos fora dos palcos, renasceu neste ano e deve lançar um EP até dezembro. Além de “Na Nuvem”, música inspiradora em sua suave melancolia – a qual o entresons pôde ouvir, mas por enquanto, guarda segredo da letra – , outras quatro músicas devem fazer parte desse lançamento, que está em constante construção. O duo é formado pelos pianistas Delia Fischer e Cláudio Dauelsberg, que fizeram muito sucesso, com músicas incluídas até em novelas, entre 1986 e 1991, período que durou a primeira fase do grupo. O Fênix surge em um momento de grande efervescência dos duos no Brasil.

Duo Calavento bebe nas águas de Bituca e da música mineira

Duo Calavento Capa CD

A música modal de Minas Gerais e o seu maior expoente, Milton Nascimento, inspiraram o violonista Diogo Carvalho e o violinista Leonardo Padovani a criarem a música “Calavento”, que mais tarde se transformou no nome do duo que lançou neste ano o seu primeiro CD, com uma magnífica arte da designer Malena Carvalho, digna de grandes quadros. O CD foi lançado em maio e, agora, em agosto, a dupla já tem oito shows agendados até o fim do ano, de Itajaí (SC) à cidade do Rio de Janeiro. A união de violino com violão, a princípio, pode parecer um tanto quanto impossível, talvez até mesmo irritante. Até mesmo pelo volume dos dois instrumentos, explica Diogo, que usa o seu violão não como acompanhante do violino, mas como se estivesse tocando outra música, solando ao mesmo tempo Leandro.

Templo budista inspirou Daniel Grajew a compor “Manga”, música que batiza o seu primeiro CD autoral

trio rosto 2 peq pb

O pianista e compositor Daniel Grajew, hoje com 35 anos, acompanhou uma cantora em 2008, participando da banda e dos arranjos. Com a moça, o grupo disputou um concurso de música promovido pelo Templo Zu Lai, em Cotia, na Grande São Paulo. O prêmio era uma viagem para realizar um show na China. O grupo foi desclassificado, mas para Daniel a visita ao maravilhoso templo budista e a meditação que ele conseguiu fazer naquele local foi o bastante para ele semear “Manga”, composição que foi gravada no álbum “Tudo Azul” em 2011, do Carlos Malta Quarteto, e que agora dá o título do primeiro disco gravado pelo pianista, com apoio dos recursos liberados pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac).

Movimento Grandes Bandas Grandes une Rogério Botter Maio Noneto, Lupa Santiago e Jazz Combo de Tatuí em Campinas

jazz combo  lupa santiago (2)

O Movimento Grandes Bandas Grandes que, desde o início deste ano, apresenta um time de craques instrumentistas, na Concha Acústica da Lagoa do Taquaral, em Campinas, traz em agosto, a estreia de Rogério Botter Maio Noneto e o Jazz Combo do Conservatório de Tatuí, que terá como convidado o guitarrista Lupa Santiago. Trata-se de uma edição especial dedicada ao jazz combo, que se difere da big band por ter um formato menor e remeter aos tradicionais conjuntos de música de câmara.

BIXIGA 70 TOCA SEU AFROBEAT NO SERRALHERIA DIA 14

Bixiga 70 - divulgação 2013 01 - créditos Nicole Heiniger (1)

No próximo dia 14 de agosto, o Serralheria, em São Paulo, recebe a big band de afrobeat Bixiga 70, às 23h. O grupo toca as músicas de seu segundo trabalho, lançado em setembro de 2013, incluindo os sucessos “Deixa a Gira Girá” (ponto de candomblé, já adaptado pelo trio baiano Os Tincoãs, em 1973); “Ocupaí”, “5 Esquinas”, “Kriptonita” e “Isa”. Sem título como o primeiro, o disco é totalmente independente e conta novamente com a mixagem do norte-americano Victor Rice. Com produção e arranjos de autoria da banda, o álbum reflete o aprofundamento em suas influências musicais, ao mesmo tempo em que aponta novos caminhos e sonoridade.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal