Meditação para crianças no Dia Mundial do Brincar

baixa resolucao (3)

A Meditação com Tambores celebra o Dia Mundial do Brincar, neste domingo, dia 31 de maio, com uma programação especial para as crianças. A educadora Cristiane Velasco contará a história “A Véia da Gudéia”, acompanhada pela rabeca de Mariana Corado e pelos tambores de Mônica Jurado e Patrícia Alcântara. O conto foi criado em 2001 por Cristiane Velasco e seus alunos no espaço de educação infantil Casa Redonda Centro de Estudos, a partir do pesadelo de uma criança de 5 anos. A história narra as aventuras de uma bruxa brasileira, reunindo cantigas e danças tradicionais. O nome da personagem foi “emprestado” de uma lenda da Pedra do Baú (São Bento do Sapucaí/SP). O evento é direcionado a adultos e crianças, que poderão brincar de meditar. “Ouvir histórias é uma forma ancestral de meditar e de autoconhecimento”, explica Mônica Jurado.

Duo Fênix revela a letra da música “Na Nuvem” 

Duo Fenix

O entresons conseguiu com exclusividade a letra da música “Na Nuvem”, que estará no primeiro EP que o Duo Fênix lançará após ficar longe dos palcos por 25 anos. Formado pelos pianistas e compositores Delia Fischer e Cláudio Dauelsberg, o Duo Fênix fez muito sucesso entre 1986 e 1991, época em que o jazz e a música instrumental brasileira ganharam grande espaço na mídia. O EP será lançado no dia 16 de junho, com outras músicas além da inédita “Na Nuvem”, como “Blackbird”, de Lennon e Mc Cartney, e “Cor de Sol”, de Egberto Gismonti e Eugenio Dale. O grupo estuda lançar até mais dois EPs, que estarão todos em sites de streaming como Spotify, Deezer e Rdio e nas plataformas de venda digital, como Itunes emusic.

Shows do Quintal Brasileiro são cancelados

Os dois próximos concertos da série “Ouvido Absoluto”, com o Quintal Brasileiro, programados para os sábados 30 de Maio e 6 de Junho às 12h, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, estão cancelados. Isso porque Luiz Amato, violinista do Quintal Brasileiro, foi submetido nesta quinta-feira (28 de Maio) a uma cirurgia de emergência por conta de descolamento de retina. O músico terá de ficar por no mínimo quinze dias em repouso absoluto, para recuperação da cirurgia. Segundo os realizadores, os dois concertos cancelados deverão ser reprogramados partir de Agosto, quando da continuidade da série.

Gustavo Spínola iça velas para navegar “Mares, Rios”

Gustavo Spindola Capa_CD

O cantor, instrumentista e compositor Gustavo Spínola lançará no segundo semestre de 2015 “Mares, Rio”, seu primeiro trabalho autoral. Serão nove faixas que expressam um som de grande sensibilidade, resultado de parcerias muito especiais. É como se, em pleno interior de São Paulo, na cidade de Americana, nascesse um movimento musical que já começa no mesmo nível de qualidade de artistas como 5 a Seco e Hugo Branquinho. Entre os vários mestres de Gustavo, está a pianista e cantora Andrea dos Guimarães, professora inspiradora que ajudou indiretamente o músico a realizar o sonho do primeiro CD. Andrea faz show do seu CD “Desvelo”, no dia 1 de junho, às 21h, no Espaço Cachuera, em São Paulo.

Terapia familiar é aplicada em empresas

Curso de Constelações Organizacionais com Oswaldo Santucci

Uma terapia aplicada ao tratamento de traumas familiares está ganhando espaço nas corporações: é a chamada constelações sistêmicas, termo criado pelo alemão Bert Hellinger nos ano 1980 que considera o indivíduo como parte de um sistema de relações, tendo a família como a base da estrutura, buscando contextualizar os problemas e agir tendo como foco as soluções. Essa terapia é nova e traz consigo conceitos polêmicos como, por exemplo, a “ressonância mórfica”. Apesar deste conceito trabalhar com a ideia de que a mente é muito maior que o cérebro, estendendo-se para o contexto social e, no caso de famílias, para membros de gerações muito anteriores que nem chegamos a conhecer, carrega consigo a polêmica de defender que há uma transferência de conhecimento entre outras pessoas mesmo que estas não tenham contato umas com as outras, como defende o biólogo Rupert Sheldrake sobre a existência de uma “memória coletiva” em seu texto “A mente ampliada”.

Pintura muda a vida de artista de rua em BH

O pintor Marcos assina suas obras como Jesus.

Quintal Brasileiro realiza três shows no projeto Ouvido Absoluto

Quintal Brasileiro (5) - Foto Davilym Dourado (3)

A idealizada versão do quintal como um lugar lúdico se faz em som e tem como um de seus nomes o conjunto Quintal Brasileiro, que se equilibra no muro entre os seus vizinhos “populares” e “eruditos”. Sem receio de levar tiro de sal nos fundilhos ao desejar hora a fruta de um, hora a do outro, seus arranjos e composições autorais são inspiradas de tal forma que por si só dissolvem barreiras de classificação. O que importa não é saber se é erudito, se é popular ou se são ambos, mas quanto os ouvintes ganham nessa soma e quanto os músicos se sentem realizados à medida que o nível de liberdade cresce. O grupo será o primeiro a se apresentar no projeto “Ouvido Absoluto”, da Ato Cultural e Livraria Cultura, com o intuito de abrir espaço para a música de câmara. As apresentações ocorrerão aos sábados, no Teatro Eva Herz, ao meio dia.

Dentista se especializa em tratar músicos de instrumentos de sopro

Alexandre Alcântara e François de Lima trombonista da Banda Mantiqueira

A música pode até surgir no cérebro, a partir de uma inspiração, mas para se materializar em som é preciso bem mais que estudo e o domínio de um instrumento: o corpo tem papel fundamental nesse processo. Além de técnicas de respiração, o uso de toda a boca é determinante no caso de músicos que se expressam por meio de instrumentos de sopro, como saxofone, trompete, trombone, flauta, tuba, entre outros. A conexão exata do corpo do músico com o instrumento de sopro se dá pela chamada “embocadura”, que por meio de uma conjunção de fatores envolvendo os dentes, lábios e a língua, permite a passagem exata de ar pelo instrumento para que ele possa emitir as ondas sonoras das notas musicais. O assunto chamou a atenção do dentista Alexandre Alcântara, em 1995, que se especializou na área.

Entre o punk rock e a arquitetura moderna

ARKITITObandeiras60 (2) Sala

Por ironia do destino, a arquitetura moderna e a música fizeram com que Tito Ficarelli ficasse conhecido no Brasil. Aos 14 anos, o paulistano formou com outros dois amigos da escola a banda de punk rock Holly Tree no fim da década de 1990. Os clips da Holly Tree eram exibidos na MTV e o grupo se apresentava na TV Cultura. A banda chegou até a viver em Los Angeles. Ficarelli também estudou arquitetura e, quando voltou dos Estados Unidos, abriu com a irmã Chantal Ficarelli o escritório Arkitito. A empresa faz arquitetura comercial, residencial, cenografia e projetos visuais. “Continuo desenvolvendo a música e a arquitetura, os dois têm relação forte entre arte, matemática, ritmo, estruturação. Os dois são filosoficamente bem parecidos”, diz o também contrabaixista. Atualmente, ele faz parte da banda Terminal, que lançou em 2014 “Picasso”, seu primeiro CD.

Trovadores Urbanos promovem show de relaxamento e meditação

Trovadores Urbanos

Nos sábados dias 16, 23 e 30 de maio, às 21h, o grupo Trovadores Urbanos vai cantar no escuro, numa experiência de relaxamento. O evento vai ocorrer no Armazém da Cidade, na Vila Madalena, misturando as suaves músicas brasileiras interpretadas pelos Trovadores com uma vivência conduzida pelo mestre de meditação e yoga Sandro Bosco, autor do livro “Meditação para quem acha que não consegue meditar”.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal