Samba Jazz na idade de frigir os ovos

Ilustração de Carlinhos Müller - Setembro de 2015

O que veio primeiro? O ovo ou a galinha? Muito de nossa ciência se tem investido para responder a essa pergunta, especialmente quando o assunto é saúde e longevidade. Pesquisas e mais pesquisas sugerem com o que devemos nos alimentar, que estilo de vida devemos seguir. Porém, ao passo que cada ser é único em sua caminhada, nada do que for prescrito pode surtir efeito se não se levar em conta o mais sábio dos conselhos: saber viver o presente. Um grupo de músicos que está chegando ou que já passou dos 80 anos, associados a um produtor que há anos tem se dedicado a contar suas histórias em livros, decidiram deixar de lado o dilema para quebrar o ovo, lançando-o diretamente na frigideira. Um dos eventos em que esses estalos ocorrerão nos paladares poderá ser sentido em um show gratuito no dia 1 de novembro, no Sesc Campo Limpo, no projeto “Samba Jazz – A Origem”.

Músico maranhense teve que dar relógio em troca de comida para não passar fome em São Paulo

Caminhos de Papete

O músico maranhense José de Ribamar Viana, o Papete, está escrevendo um livro contando a história de sua vida, desde os apuros que passou ao chegar em São Paulo, em 1968, até as conquistas, como gravar 23 CDs, conhecer músicos admiráveis, subir ao palco de prestigiados festivais, como o de Montreaux, na Suíça, e ser reconhecido como um dos maiores percussionistas do mundo. Papete lançará em São Paulo, em novembro, o contagiante CD duplo “Sr. José” e o livro “Os Senhores Cantadores, Amos e Poetas do Bumba Meu Boi do Maranhão”, que eterniza a vida de 34 mestres do Bumba Meu Boi. Nos dias 6 e 7 de agosto, a reportagem do blog entresons pode ficar bem perto deste músico culto e polêmico, que conhece os ritmos dos toques das mais variadas tradições da cultura popular brasileira.

Onde o rio encontra o mar

Papete (1)

O trabalho do músico maranhense José de Ribamar Viana, mais conhecido como Papete, pode ser comparado à água: é tão vital quanto o líquido precioso que alimenta a terra. Papete completará 68 anos em novembro, mês que escolheu para fazer o lançamento em São Paulo de dois trabalhos, já lançados no Maranhão, que mostram a profundidade da cultura popular maranhense e sua projeção no mundo enquanto cultura pop. O primeiro é o livro “Os Senhores Cantadores, Amos e Poetas do Bumba Meu Boi do Maranhão”, no qual revela a história dos 34 mestres mais representativos do Bumba Meu Boi no Estado; o segundo é o CD duplo “Sr. José… de Ribamar e outras praias…”, verdadeira fonte da juventude do artista, que ao usar técnicas de gravação e levar um espírito de esperança em sua interpretação o faz soar como um garoto de 20 anos.

Desenhando a tolerância

Julio C.L. Lisboa, 29 anos, Unisal

Não foram apenas 14 os premiados no 16º Salão do Humor Internacional em Americana, realizado entre os dias 20 e 28 de junho de 2015, na escola técnica Polivalente. Tão importante quanto o reconhecimento de um trabalho foi o empenho de Geraldo Basanella, criador do salão, que incentivou crianças e adultos de escolas das cidades de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara, Sumaré e Hortolândia a refletirem sobre a importância da tolerância na sociedade, em razão do tema do salão deste ano: “Sim Tolerância; Intolerância Não”. Dos 780 inscritos, apenas 25 eram desenhistas e chargistas profissionais, enquanto que a maioria era formada por estudantes da região. Além de fazer chegar o tema à razão pelas vias intangíveis da arte, expressa nos traços de cada participante, o humor teve papel importante na reflexão sobre a tolerância para os 1.500 visitantes do salão.

Duofel e Benjamim Taubkin pela primeira vez juntos em um show

A Casa do Núcleo apresenta encontro inédito entre Duofel e Benjamim Taubkin, no dia 12 de setembro, sábado, às 21h. Nesta noite o diálogo entre os violões e o piano poderá ser apreciado pelo público. O trabalho do Duofel é resultado de 35 anos de pesquisas, ensaios e shows diversos. Luiz Bueno, paulistano, 60 anos, e Fernando Melo, alagoano de Arapiraca, 56 anos, têm em comum o fato de serem autodidatas e de acreditarem com rara obstinação, no sucesso de uma proposta musical. Benjamim Taubkin, pianista, produtor, arranjador e compositor, realiza diversos projetos com música brasileira e seu diálogo com as outras culturas, o vêm sendo seu campo de atividades. Dirige a produtora e gravadora Núcleo Contemporâneo desde seu início e é idealizador da Casa do Núcleo.

Carrasqueira e Guilherme Sparrapan é atração na série “Ouvido Absoluto”

O duo formado pelo flautista Toninho Carrasqueira e pelo violonista Guilherme Sparrapan faz concerto no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, fechando mais um ciclo da série “Ouvido Absoluto”, no sábado 5 de Setembro, às 12h00. O flautista Toninho Carrasqueira, músico que dispensa apresentações, vem tocando com o jovem violonista Guilherme Sparrapan há mais de quatro anos. No duo, os velhos companheiros que são a flauta e o violão se reúnem para mostrar um pouco do tesouro musical brasileiro, com pitadas de outras terras.

Quem entender morre

1Mùsica Universal Foto de Cássia Betânia P Rocha

“Eu sinto (a música), mas não consigo entender”, diz o saxofonista Vinícius Chagas entre os intervalos de um curso. Ele tocava seu sax tenor no hall de entrada das salas de ensaio do sexto andar do Sesc Vila Mariana, frente ao imenso vão livre, que corta todos os andares e por onde flutuam, em movimentos circulares, baleias coloridas de um móbile. Vinícius buscava na razão uma forma de memorizar uma frase que havia sido lhe passada simplesmente cantando, durante o curso de Música Universal do multi-instrumentistas Itiberê Zwarg, cuja essência é exatamente a de ensinar música por senti-la, nunca por entendê-la.

Poesia e música inspiram meditação em plena Av. Paulista

Meditação com Tambores 4 Foto de Nídia de Almeida Linhares

A Meditação com Tambores, grupo que usa a música como um dos veículos para incentivar insights e o autoconhecimento, promoverá às 15h, na Casa das Rosas, no dia 6 de setembro, um domingo, uma meditação especial celebrando o início da primavera. O evento, com entrada franca, será realizado no jardim da casa de cultura e os participantes poderão levar mats ou colchonetes de yoga para meditar confortavelmente.  Por meio do poema “Eros e Psique”, de Fernando Pessoa, permeado pelo som de tambores, castanholas, rabeca, violino, violoncelo e cantigas da cultura popular, o grupo deseja propiciar aos espectadores relaxamento e tempo para refrescar pensamentos e emoções.

Quando menos é mais

Alex Periscinoto

Na batalha de comunicação que ajudou na renúncia do presidente Nixon, a publicidade norte-americana marcou presença junto com o “Washington Post” e toda mídia compartilhando a indignação da sociedade contra as pedaladas do presidente flagradas no episódio “Watergate”

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal