Uma pedra no caminho

Francisco Lobo Pedras 21

Desde pequeno, sempre fui interessado pelo formato de pedras e pedregulhos. Com seis anos, guardei por muito tempo como amuleto uma “pedra-infinito”, com formato de número oito, praticamente duas bolinhas grudadas pela natureza. Em 2007, comemorei a decisão pelo nome de meu filho, definido naquele momento em uma praia de Caraguatatuba, mergulhando no mar para coletar uma das várias pedras que haviam no fundo, um macuco que guardo até hoje e que já foi tema de redação na escola do meu filho. As pedras vão muito além de item de colecionadores. Pedras e cristais têm sido usados há milênios pela humanidade em processos de cura. Cada gema tem propriedades específicas, que podem ajudar desde o combate à depressão a melhoraria da memória, como ametista, quartzo-rosa e jade. E até hoje ainda são usadas de várias formas por músicos e especialistas como massoterapeutas, meditadores, terapeutas holísticos e acupunturistas.

Uma meditação latino-americana

Luis Leite PB

Por mais revoltante e injusto que o mundo nos pareça, só com amor é possível mudar a nossa perspectiva para uma sociedade mais justa. “Vento Sul”, o terceiro CD autoral do violonista carioca Luis Leite, dá grande colaboração nesse sentido ao fazer um convite a um tipo de introspecção que não tem nada de passivo. Lançado no final de 2017, o trabalho pode ser considerado um mergulho na essência da América Latina, de suas veias até hoje abertas, e um forte estímulo para a meditação sobre quem somos, o que queremos e para onde vamos. O disco físico pode ser adquirido pelo site do artista (R$ 30) ou por download no mesmo endereço eletrônico (R$ 15). O violinista não disponibilizou o CD em plataformas de streaming por questões estéticas e econômicas.

Só a fé não move o canto

Saúde de cantores evangélicos 2 MTC

Com a proximidade do Natal e Fim de Ano, corais de igreja se apresentam em todos os cantos. A música, no entanto, não é um veículo de louvor apenas nessas festas. Todas as religiões têm na canção um componente essencial em sua liturgia. Entre os evangélicos, o uso da música é ainda mais intenso. Mas o canto dos evangélicos está ameaçado pela falta de técnica, com “elevado risco vocal” que pode prejudicar a saúde de cantores amadores que participam desses cultos. É o que mostram dois estudos coordenados pelo Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (USP) e Centro de Estudos da Voz (CEV).

Ventos do Oriente

Tarabando Zikir Trio

O Bando de Seu Pereira divulga o vídeo da música “Tarabando”.

Bando de Seu Pereira lança Xote dos Recursos

Grupo de forró ecológico lançou quinta-feira (07/12) o clipe “Xote dos Recursos”.

A última piada infame de Tadeu

Tadeu

“… e ainda acreditamos em Deus e na qualidade musical. No fim tudo vira pó e mp3.” Às 19h30 de sábado, 2 de dezembro de 2017, Tadeu Martinez replicou essa sua frase profética que lhe apareceu na memória do Facebook, algo que havia escrito e compartilhado há exatos seis anos. Há 25 anos, o então metalúrgico deixou a fábrica na qual trabalhava para ficar mais perto do rock, sua paixão. Guitarrista, curioso com tudo que envolvia a música, Tadeu decidiu criar o Z7 Studio na parte da frente da sua casa, na Vila Madalena, em São Paulo. “Ele ergueu parede por parede. O estúdio era a vida dele”, lembra a filha Uiara Carvalho. Naquela noite de sábado, ele parecia feliz, fazendo piadas com a dura realidade, como era de seu costume. Ele estava animado com as câmeras que comprara recentemente para fazer transmissões ao vivo de ensaios. Às 3h50 da madrugada de domingo, ele acordou com fortes dores de cabeça e no peito. Com a demora da ambulância, a filha recorreu aos vizinhos, que o levaram até o Hospital das Clínicas. Ele chegou a ser atendido, mas morreu de infarto, aos 52 anos de idade.

O interior da boa música

JAZZ-roger

2017 termina com dois eventos muito importantes para a cultura brasileira. Começa hoje (4/12), em São Carlos, a 14ª edição do Chorando Sem Parar. Até domingo (10/12), o evento celebra a obra de Aníbal Augusto Sardinha (1915 – 1955), mais conhecido como Garoto, “o gênio das cordas”. E na quarta-feira (6/12) tem início o Festival Serrinha Instrumental, na zona rural de Bragança Paulista, com extraordinários músicos brasileiros que se apresentam, até domingo, em uma antiga fazenda que produzia café e virou um museu à céu aberto. Esses dois festivais comprovam que o interior de São Paulo não tem apenas festa de peão boiadeiro, sertanejo, gospel e brega music. É preciso respeitar o gosto de cada cidadão, respeitar o direito à fé e à catarse. Mas são gêneros já sustentados por uma rica indústria, com domínio de grande parte dos meios de comunicação tanto da antiga quanto da nova era.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal