Kitiellem

A majestade dos shows sertanejos

Roger Marzochi, São Paulo, entresons, roger@entresons.com.br

Ela começou cantando “Florzinha de Jesus” na igreja aos sete anos, mas por influência do pai, que não é evangélico, mergulhou no universo sertanejo aos 14 anos. Foi com a música “Majestade O Sabiá”, de Roberta Miranda, que Kitiellem Campelo Ferreira, 27 anos, conquistou o segundo lugar na categoria intérprete do concurso “Talentos Musicais”. É esta mesma música que ela apresentará no dia 23 de outubro, no Theatro Carlos Gomes, centro de Vitório, no show “Talentos Musicais – O Espetáculo”.

Estagiária há um ano no setor de vendas internas, seu principal sonho profissional é ser efetivada na função. E, na música, seu principal desejo é que continue por muito tempo a maré boa que surgiu em sua vida com o concurso musical. “Não pensei que ia render tanto esse festival, foi uma onda que eu não esperava. Eu sempre cantei, mas não esperava que renderia um reconhecimento tão grande e vários convites. Eu queria que permanecesse essa maré boa, que é muito gostoso. Não faço por dinheiro, mas porque eu gosto, eu vivo aquilo que eu canto, não canto por cantar.”

As apresentações em barzinhos têm crescido após a participação do concurso, e já é chamada nas ruas de Cariacica, cidade onde ela mora, de “A Majestade”. No Dia das Crianças, apresentou-se na festa organizada pela Associação Esportiva Siderúrgica Tubarão (Aest) e diz que chegou a emocionar algumas pessoas da plateia, além de ter recebido um convide da coordenadora da associação para uma nova cantoria. Ontem, ela esteve com vários outros participantes do concurso para subir ao palco do Wunderbar Kaffee, na Praia do Canto, em Vitória.

Recebeu ainda o convite de um amigo, Magno Santos Barcelos, que trabalha na área de oficina de segmento da empresa, de fazer um projeto batizado de “Meio a Meio”. O rapaz se apresenta em bares tocando pop e rock, mas precisa de uma parceira no sertanejo uma vez que músicas desse gênero são sempre pedidas pelos clientes. “No ano que vem, é bem provável que eu faça esse projeto. A maré boa tem que continuar. Estou também terminando a faculdade de Administração.”

Durante o período em que cantou na igreja, chegou a fazer parte do coral e também participou, de 2000 a 2006, da banda gospel Ministério Louvor, fazendo várias apresentações pelo Estado do Espírito Santo. Em casa, as influências das cantorias da mãe e do pai igualmente contribuíram para que Kitiellem soltasse a voz. O pai se apresenta até hoje em bares de Cariacica cantando música sertaneja. E, durante a infância da filha, leva-a para vários rodeios.

“Não tenho preconceito com outros estilos, mas acho que o sertanejo é mais adequado à minha voz, encaixa-se muito bem. Gostaria de fazer aula de canto, mas me falta tempo”, explica ela, que apesar de gostar do chamado sertanejo universitário, prefere cantar música de raiz. “Tem um monte de gente me parando na rua (por causa do concurso). Algumas pessoas aqui dentro me chamam de ‘Majestade’. Eu agradeço primeiro a Deus e às pessoas, é muito gostoso esse reconhecimento.”

Comentários
8 Respostas para “A majestade dos shows sertanejos”
  1. Marco Chagas disse:

    Canta muiiito! Parabéns!

  2. Mário Roberto disse:

    Parabéns Kitiéllem e que você tenha bastante sucesso.

  3. Emerson Mascarelo disse:

    Parabens Kitiéllem. Continue assim e que Deus nos ajude.

  4. Liliane Ambrósio disse:

    Kitiiiiii, muuuuuuuuuuito feeeliz por você viu!!!…. você merece gata, muitooo sucessoooo e aproveita com sabedoria as oportunidades que estão e vão aparecer pra você…. E arrrrraaassa com essa VOZ maravilhosa que Deus te deu…

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal