Tambor e Rosa Foto de Fernando Almeida

Último “meditashow” do ano refletirá sobre como semear um novo ciclo

Foto de Fernando Almeida

O grupo Meditação com Tambores realizará na sexta-feira, 11/12, às 20h30, o último “meditashow” de 2015. O evento, que ocorrerá na Casa Jaya, em Pinheiros, terá como tema principal a celebração do ano que está terminando e uma reflexão sobre como semear um novo ciclo, que se iniciará em janeiro. Criado há dois anos, o grupo é formado pela meditadora Monica Jurado, a psicanalista Patrícia Alcântara e a cantadeira de histórias Cristiane Velasco, que encontraram no som dos tambores um importante veículo para estimular a meditação e o autoconhecimento. Participarão do evento a musicista Mariana Pilatos Corado (violino e rabeca) e Roger Marzochi (sax). O grupo também convida os participantes a levarem seus tambores.

Ao som de tambores, que são percutidos como metáfora das batidas do coração, Cristiane Velasco cantará mantras e canções populares, enquanto Monica Jurado guiará os participantes em suas paisagens internas. O uso do ritmo da batida do coração tem como finalidade lembrar os ouvintes do som primordial de sua própria pulsação e as sensações de quando estava na barriga da mãe. “O feto cresce no útero ao som do coração da mãe, e as sensações rítmicas de tensão e repouso, de contração e distensão vêm a ser, antes de qualquer objeto, o traço de inscrição das percepções”, diz José Miguel Wisnik, no livro “Som e Sentido – Uma História das Músicas”. Nos últimos dois anos, o grupo tem participado de apresentações no Sesc, Virada Sustentável, Virada Esportiva e Casas das Rosas unindo tradições musicais tão amplas quanto a brasileira, a turca e a indiana, utilizando diversos instrumentos de percussão e sopro.

Monica Jurado lembra que 2015 foi um ano de muitos desafios e de muito caos, que até podem servir de alimento para a vida caso se busque uma resposta criativa, para evitar situações que não gostaríamos de experimentar novamente. “A melhor forma de se fazer isso é parar um instante e pensar no que você quer dar continuidade, dando importância aos ciclos. Celebrar o início e o fim de algo, por incrível que pareça, não é muito completo na contemporaneidade. As celebrações são mais formais e estéticas, quem realmente faz uma celebração de Páscoa ou Natal com a consciência do que está fazendo?”

Para ela, a celebração do início ou fim de um ciclo “é uma oportunidade de celebrar um marco interno de uma mudança”. “E isso é como uma nova estação: reforça a chance de mudança. Anualmente fazemos isso, com as festas de fim de ano, mas há um âmbito ainda mais pessoal, cada um pode meditar nos ciclos que estão passando: uns estão se formando, outros se casando, separando, etc. As mudanças são relevantes e é importante parar e pensar por quais caminhos seguir.” Por isso, na primeira parte da meditação, haverá espaço para que os participantes meditem sobre seus ciclos pessoais que ocorreram ao longo do ano para, depois, refletirem sobre como se modificar. “É importante esse processo para saber identificar o que você quer para então dar continuidade em 2016. E celebrar o ano com os amigos e os tambores.”

Meditação com Tambores – Celebrar 2015 e Semear o novo ciclo

Sexta, 11 dezembro das 20:30 as 21:50 hs

Casa Jaya- Rua Capote Valente, 305- Pinheiros

R$ 40,00 – crianças até 12 anos gratis

 

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal