Tambores

Oficina promove a construção de tambores

Roger Marzochi, São Paulo, entresons, roger@entresons.com.br

O projeto Tambores Flow, que promove meditações com o uso da música, vai realizar no domingo, dia 13 de março, uma oficina de construção de tambores xamânicos com a participação da meditadora Monica Jurado e do construtor de tambores Flavio Jun Uchikawa. A oficina custará R$ 250 e ocorrerá das 9h às 17h no Espaço Tambor, na Rua Conselheiro Pereira Pinto, 68, em Pinheiros, São Paulo.

Segundo Uchikawa, os tambores serão feitos de madeira compensada com pele de caprinos ou uma manta plástica e terão 40 centímetros de diâmetro. Os aros dos tambores serão levados já fabricados, para facilitar o processo de construção. Ele começou a fabricar tambores em 2006, por uma motivação religiosa, aprendendo por conta própria. Em 1986, acordava no meio da noite assustado com o som de tambores e, com o tempo, aproximou-se de religiões como a umbanda e o Santo Daime, que utilizam o instrumento. E, assim, começou a sentir vontade de fabricá-los. Em grande parte de seus tambores, o material utilizado é o bambu.

“O que me move é desenvolver modelos, porque é uma meditação. Quando você está absorto nessa atividade, você dá uma desligada, é uma meditação bem dinâmica. Já fiquei 12 horas, 8 horas sem comer, sem beber nada, completamente hipnotizado pelo ato em si. Por isso que eu comecei a desenvolver um tambor xamânico, porque a minha vontade maior é trabalhar com bambu. Eu posso fazer outros tipos de tambor, mas eu tenho muita ligação com o bambu, na linha de Iansã”, explica o tamboreiro, que criou a empresa de artesanato Bamboo Drums, que com as vendas de tambores reinveste o dinheiro na compra de matérias para a construção de novos tambores. Uchikawa é lojista, não sobrevive fabricando tambores.

“Tenho mais de 30 tambores prontos, tambores xamânicos. Os outros tambores dá mais trabalho, demora. Quando eu corto madeira já faço dois ou três. Já o atabaque é uma média de quatro a cinco por mês, isso porque o pessoal vai pedindo, enquanto eu não aborrecer fazendo, eu vou fazendo. A origem do tambor foi da barrica de vinho, fiz uns tambores em formato de vinho. Do atabaque foi essa origem”, diz o tamboreiro, que também foi professor de Aikido por 15 anos.

A construção de um tambor, explica Monica Jurado, vem na perspectiva segundo a qual todo músico tem com seu instrumento: “Ele é vivo, e nele habita um espirito. O músico que realmente se aproxima das musas, do espirito da música sabe disso, e reconhece seu instrumento, seja ele qual for como um mestre e amigo precioso”, diz a meditadora.

 

Oficina de Tambores com Monica Jurado e Flavio Uchikawa

Domingo, 13 de marco das 9 as 17 horas

Onde: Espaço Tambor- Rua Conselheiro Pereira Pinto, 68- Pinheiros

Quanto: R$ 250,00: oficina, aula, material e fogueira.

Opção para construir seu tambor em couro ou vegano.

Informações e inscrições: tamboresflow@gmail.com

 

Comentários
Uma resposta para “Oficina promove a construção de tambores”
  1. Monica Jurado disse:

    Enorme gratidão! Excelente texto como sempre!

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal