Orkut Buyukkokten

“A conexão real é um sentimento de união”, diz Orkut

Roger Marzochi, São Paulo, entresons, roger@entresons.com.br

Na semana passada, foi lançada no Brasil a hello, a quarta rede social já criada pelo engenheiro turco Orkut Buyukkokten, o mesmo que idealizou a primeira grande rede social a ganhar a Terra, o Orkut. Criada em 2004, a rede chegou a ter 300 milhões de usuários, com grande apelo entre brasileiros e indianos. Mas ela não resistiu ao crescimento do Facebook e de outras redes sociais, sendo fechada oficialmente pelo Google em 2014. Em março do mesmo ano, Orkut deixou o Google para se dedicar exclusivamente ao desenvolvimento de sua nova rede, que ele define como o local onde é possível ser autêntico e colocar em prática suas paixões. Desde que anunciou a nova rede, Orkut tem criticado as redes atuais, nas quais avalia existir espaço para ódio e o medo. Na hello, o usuário faz algo parecido como um teste de personalidade, no qual escolhe cinco entre cem “personas”, que são uma espécie de área de interesse. A partir desse ponto, o usuário consegue se conectar a outras pessoas e a conteúdos relacionados, inclusive, música. Por isso, a pedido do entresons, o engenheiro respondeu três questões sobre como a hello pode ajudar os artistas, sobre ódio e tecnologia e o compartilhamento gratuito de informações nas redes. Confira abaixo a entrevista:

Músicos e artistas, de forma geral, têm usado muito o Facebook para levar a sua arte ao maior número de pessoas possível, especialmente músicos de jazz, jazz brasileiro e choro. Como a nova rede social hello pode ajudá-los a divulgar a arte para o mundo, da forma como colabora hoje o Facebook?

Você pode escolher cinco paixões quando se une à hello. A curadoria do feed das pessoas é feita com base em sua rede de contatos, paixões e localização. Quando você publica um comentário, você pode atingir personas como “Fãs de Música” ou “Músicos”. Isso divulgará a informação para a comunidade de fãs de música ou de músicos. Nós também recomendamos outros membros que você deveria conhecer e interagir. Se você utilizar “Fã de Música” ou “Músico” como uma de suas paixões, nós iremos te apresentar outros com os quais você poderá se conectar.

Você já escreveu que atualmente as redes sociais estão cheias de ódio e raiva. Não acha que esses dois tipos de sentimento têm sido potencializados pela tecnologia propriamente dita?

por_personasA conexão real é um sentimento de união. É saber que existe alguém que olhará para nós, nos dará suporte, oferecerá o ombro quando precisamos rir e chorar. Isso só acontece quando podemos ser nós mesmo verdadeiramente. Muitas vezes, nós não representamos nosso verdadeiro “eu” em uma rede social. Nossos perfis não são como nós somos, mas a forma que gostaríamos que o mundo nos visse. Eu acredito que ódio e raiva vêm do fato de não sermos genuínos, autênticos, expressivos e honestos com nós mesmos e com as pessoas que nos cercam.

As pessoas usam o Facebook e o Twitter, entre outras redes sociais, e literalmente produzem conteúdo de graça: fotos, textos, todo tipo de conteúdo produzido gratuitamente, enquanto as redes sociais vendem aos usuários quase todo tipo de produto. Na hello, é possível remunerar as pessoas para produzir e compartilhar conteúdo? Não acredita que é importante criar um melhor sistema de distribuição?

Estamos constantemente pesquisando e investigando novas formas de aprimorar a experiência do usuário. Grande parte da distribuição de conteúdo e conectividade entre as comunidades envolve paixão.

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal