Zikir Trio

Bruna Milani incendeia estreia da TarabJazz

Roger Marzochi / Foto de Pedro Bonatto de Castro

A dançarina Bruna Milani levou ao êxtase a plateia que acompanhou a pré-estreia da banda TarabJazz, na sexta-feira 17 de março, no 38 Social Clube, em São Paulo. A banda do multi-instrumentista Mario Aphonso III, criada para tocar a fusão entre o jazz e a música oriental, fez uma primeira entrada apresentando um repertório dedicado à música do oriente, com composições próprias do instrumentista e do compositor libanês Rabih Abou-Khalil. Nessa primeira apresentação, antes do intervalo, foram 50 minutos de muita música oriental, com melodias sopradas em flautas turcas como nay, caval e a flauta indiana bansuri. Após o intervalo, as 20 pessoas que acompanharam a apresentação, viram entrar a dançarina Bruna Milani, envolta em um véu vermelho.

A segunda parte do show, que durou cerca de uma hora, foi dedicada a apresentar as composições do CD “Jazz Sahara”, gravado em 1958 pelo contrabaixista Ahmed Abdul-Malik, que tocou com nomes como Thelonious Monk, John Coltrane e Art Blakey. Bruna dançou a primeira música do CD, “Ya Annas (Oh People)”. O CD tem quatro músicas, todas gravações folclóricas do Oriente Médio com um arranjo que caminha para o mundo ocidental na medida do sopro do saxofonista Johnny Griffin. “Essas músicas têm mais de 2 mil anos”, disse Ian Nain, que tocou alaúde, e fez uma introdução de tirar o fôlego.

Aphonso III, tocando sax soprano nesta música, além de apresentar o tema muito bem, improvisou de olhos atentos em Bruna, num movimento duplo em que sons e gestos se fundem numa dança profunda. A improvisação, que você pode ouvir no arquivo abaixo, gravado de um celular no dia da apresentação, foi uma das mais incríveis da apresentação, devido à fusão total de som e movimento. A banda ainda é formada por Francisco Lobo, nas percussões orientais, e Vinicius Pereira, no contrabaixo acústico.

Bruna ainda dançou mais duas músicas, entre elas, “Farah ‘Alaiyna”, levando o público a acompanhar a percussão com palmas. Aphonso III tocou músicas usando também sax tenor, flautas transversal e baixo, intercalando as canções com um diálogo educativo com a plateia, não apenas sobre a história de cada instrumento, mas da tradição da música oriental e suas ramificações pala música ocidental.

Contribuiu também para a apresentação o espaço incrível do 38 Social Clube, que é, na verdade uma casa na Vila Romana. A família abriu, há três anos, o bar no primeiro andar da residência. Sidnea Nogueira, a dona da casa, é quem prepara um buffet com uma comida caseira sem igual. No dia 7 de abril, o grupo fará um novo show, agora no Espaç91.

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal