Gabriel Cobaia foto Facebook

Batismo na Folia de Reis

Cantor de 21 anos de Vinhedo ganha público na web e sonha em gravar seu primeiro CD com músicas autorais

Roger Marzochi, do entresons; Crédito da Foto/Divulgação

Gabriel Cobaia nasceu em Vinhedo (SP), em 1997. Mas desde pequeno, ele viajava para Cambuquira (MG) para visitar o avô, que tocava violão na Folia de Reis. E, assim, todo início de ano, Gabriel se maravilhava com essa festa cristã, com influências africanas, espanholas e portuguesas, que comemora a peregrinação dos três reis magos ao local de nascimento de Jesus, em Belém. Não do Pará, mas da Judeia! Sem confusão, oh seu Matias Cão! “Eu acompanhava a folia, meu avô tocando. Eles iam passando de casa em casa, tocando nas casas e tinham as pessoas vestidas de palhaços. A população acompanhava até chegar na última casa, até ser servido um almoço para todo mundo que estava alí”, lembra Gabriel.

O violão foi passado para o tio, que o repassou para a irmã de Gabriel. Até que o menino, com 12 anos, resolveu se aventurar. “Peguei para aprender e não parei mais”, diz Cobaia, que cursa o último ano de Relações Públicas na PUC, em Campinas. “Além de eu ter influência do meu avô e do meu tio, eu sempre tive grande necessidade de me expressar, tanto através de pintura, arte urbana, grafitti. A música foi o ápice, na qual eu realmente me encontrei.”

Aos 16 anos criou um canal no YouTube. Aprendeu a editar vídeos e a trabalhar o áudio e, dentro de casa, ele começou a realizar gravações. O primeiro vídeo foi uma grande surpresa. Ele gravou uma versão de “Telegrama”, de Zeca Baleiro. “Teve umas cinco mil visualizações, o que foi uma surpresa, porque foi o primeiro vídeo. Não é tanto comparado aos youtubers, mas para mim foi uma conquista. Foi realmente uma conquista”, lembra Gabriel. À época, sua voz de adolescente já era rouca e mais grave. E hoje essa voz está muito aveludada, muito bonito de se ouvir.

Além de violão, ele toca ukulele, e diz arranhar guitarra, piano e escaleta. A percussão é também por conta dele. Com as músicas que foi postando no canal, começaram a surgir convites de tocar em festas. O primeiro cachê foi para tocar na inauguração de uma loja. “É demais ganhar dinheiro fazendo algo que você gosta”, afirma ele, que trabalha na área de treinamento de uma companhia. O vídeo com maior visualização foi uma música da dupla Maiara e Maraísa. O sertanejo dessa dupla fica na voz de Gabriel mais próximo do pop e MPB, mais o seu estilo. As visualizações desse vídeo chegaram a 21 mil. Hoje, Gabriel soma 4,1 mil inscritos no canal, embora tenha um ritmo mais lento de postagem dos vídeos.

Mas a fama que já obteve chegou até a cantora Ana Gabriela, outro fenômeno dos tempos da web, com 1,3 milhão de inscritos em seu canal. Gravaram um vídeo juntos, viraram amigos. O cover da música “Prá você dar o nome”, do grupo 5 a Seco, com a participação de Ana, foi visto 25,8 mil vezes no canal de Gabriel, superando as sertanejas. Mallu Magalhães, um grande nome que nasceu com sucesso nas redes sociais, inspira muito Gabriel.

Mas ele gosta muito de poesia também. Adora Mário Quintana, Vinicius de Moraes e Vitor Isensee, poeta, compositor e integrante de bandas como Forfun e Braza. Isso talvez o ajude muito em seu projeto de música autoral. Gabriel já tem 15 músicas próprias e sonha em gravar um CD. “Meu sonho seria poder viver da música, que o pessoal pudesse acompanhar meu trabalho e fazer que eu possa viajar pelo Brasil inteiro tocando minha música.”

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal