Maga Lieri

Maga Lieri volta a cantar com leveza de espírito

Ouvir um cantor é como ter um grande amigo, assim como ler um autor de um livro. Existe sempre aquele que, em determinadas situações da vida, aconselham o ouvinte ou leitor na retomada de um caminho que parece ter sido interrompido pela tristeza extrema. A cantora, produtora e ex-advogada Magali Bocchiglieri, que abreviou seu nome para Maga Liere aconselhada pela amiga Adriana Abujanra, ficou um ano e dois meses sem cantar após sofrer todo o ano de 2012 de uma depressão que a impedia de deixar seu quarto, de cantar, ouvir música. Sexta-feira (08/03) ela volta a deixar fluir sua música com a ajuda de muitos amigos e músicos, como Marina Lima, que pela sua história de superação, postura e letras ajudou a cantora a libertar a sua voz. Maga cantará três músicas da cantora e canções do seu segundo disco “Bem Acompanhada”, na qual reforçou suas raízes na black music. O show será na livraria Painel Cultural, no Brooklin, pelo projeto Sons do Brasil.

“Comecei a pensar quem foi a cantora que realmente é um farol prá mim. Claro que das brasileiras é Marina Lima, e eu nuna cantei. Eu vou cantar três canções que me salvaram, que falam muito do que tenho vivido. O Djvan também me ajudou, o Vitor Martins também, que é um dos letristas que mais amo na vida”, explica Maga, que em 2011 foi indicada ao Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora na categoria Canção Popular. E engraçado que escolhi três canções da Marina que aparentemente não tinham nada a ver. E o meu arranjador disse que as tonalidades conversam muito bem. Eu fiquei muito feliz porque é essa coisa intuitiva que é a arte.”

Assim como Marina, Maga teve problemas nas cordas vocais e fazia fonoaudiologia intensa, mas o problema não se resolveu. A experiência de Marina em voltar a cantar, após ter os mesmos problemas nas cordas vocais, também serve de motivação para Maga Lieri, que aceitou mudar o nome por acreditar na magia da música e na energia do reiki, que segundo seus adeptos tem a capacidade de prevenir doenças. Ao aceitar as limitações do seu principal instrumento, a voz, Maga conta que está mais atenta às letras, uma vez que se prendia por demais pelas melodias. “Se eu gostasse da melodia, podia falar qualquer abobrinha que eu estava dentro.”

A depressão a ajudou a amadurecer e a deixar definitivamente a advocacia, investindo na produção, aproximando-se cada vez mais da arte. Ela está preparando um documentário sobre o Balé da Cidade de São Paulo. E a faísca para voltar a cantar surgiu quando o produtor Serginho Silva, da Sagitta Produções, convidou-a para se apresentar nesta sexta-feira, Dia Internacional da Mulher. Conseguiu montar a banda e reunir seus dois grandes amigos e arranjadores Jefferson Caetano e Denys Cristian, músicos inseparáveis em sua carreira.

No show, além das músicas de Marina Lima, ela também apresentará as músicas de seu primeiro e segundo CD. Este pode ser escutado no site da cantora: http://www.magalieri.com.br. Maga, que já participou de uma das últimas formações da banda Secos & Molhados, e foi backing vocal de Tom Zé, teve como padrinho na música o o ícone da soul music brasileira Carlos Dafé. Com participação dele, ela regravou em seu segundo disco “Bem Acompanhada” uma releitura a música “Pra que vou recordar o que chorei”, sucesso nos anos 70. O CD ainda conta com a músicas autorais da cantora, como “Happy End Virtual”, “Beijo Beijo Beijo”, “O Paraquedista”, “De Novo Comigo” e canções que divide com o jornalista Osmar Santos Jr, Márcelo Tai, Jefferson Caetano e Edu Schultz.

O disco ainda teve a participação do rapper Thaíde na ótima música “Sotaque Samba Soul”, uma crônica suingada da periferia de São Paulo, além de Lino Krizz em “Uma Chance”. Além de Carlos Dafé, ela escuta muito Hyldon, Cassiano, Dom Beto e Tim Maia. “Me dizem: ’Maga, deixa o Tim Maia descançar.’ Isso porque eu escuto sempre ele, no carro, em todo lugar.”

Amanhã, a cantora volta a cantar sem as neuroses de antes, mas com o mesmo pé e o coração nas nuvens. “Eu estava ligada e neurótica com perfeição de voz,  porque tenho problema na corda vocal. E estou cantando melhor, porque a voz não é mais o foco, mas a música, e passar o que ela tem de bom para as pessoas. Minha música é parecida com a dela (Marina Lima), que fala de momentos de você se desligar das coisas e poder ter um momento de foda-se. E eu quero viver e aproveitar a vida e sentir o vento na cara e o sol no meu corpo, quero me apaixonar pela vida. A paixão pode ser revolucionária. E se uma pessoa sair do meu show querendo sair para dançar ou ver o por do sol numa praia pra mim já tá certo e já valeu.”

Maga Lieri - Bem Acompnhada

8 de Março às 21h

Painel Cultural

Rua Bernardino de Campos, 210 – Brooklin – São Paulo – SP

Informações: (11) 5561-9981

Ingressos:  R$ 15

Comentários
Uma resposta para “Maga Lieri volta a cantar com leveza de espírito”
  1. Serginho Silva disse:

    O melhor de tudo é que além de ter o prazer de fazer esta produção também poderei ver e ouvir Maga Lieri mais uma vesz nos palcos!!! E numa data especial: O Dia Internacional da Mulher. Não poderia ser diferente!!!

Deixe um comentário

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal