Na Clave!

Caravana Cigana

As bandas Orkestra Bandida e Grand Baazar se apresentam nesta sexta-feira (18/08) na Caravana Cigana, evento realizado no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo. A organização do evento reúne no centro cultural expositores de produtos com temática oriental na área externa. Dentro do salão, o público dançará ao som do pesquisador Alfas Maan e seu projeto AM8, cujos sets lists podem ser conferidos no site alquimiasonora.org. Grupos de amigos abrem círculos no salão, deixando fluir pelo corpo músicas transcendentais, atravessando os desertos da alma. As bandas Orkestra Bandida e Grand Bazaar são parceiras na pesquisa e divulgação da música oriental, cigana, turca e balcânica e nasceram da Fundação Tarab, liderada pelo multi-instrumentista Mario Aphonso III. O tapete voador levará o público a uma viagem pela Turquia, Macedônia, Trácia e Balcãs, muitas vezes sob os véus da dançarina Bruna Milani, que fará uma apresentação especial no evento.

A Grand Bazaar é reconhecida pelas apresentações contagiantes, dançantes e cheias de humor. O grupo se inspirou na música cigana, italiana, judaica e outras culturas dos países dos Balcãs e Leste Europeu para lapidar a sua sonoridade, cheia de cores, sotaques e sabores. Já a Orkestra Bandida traz toda a sensualidade do oriente, com seus alaúdes, clarinetes e rabecas para mergulhar no estilo Fasil; as músicas tocadas por ciganos do oriente nas velhas tabernas e cabarés. O evento ainda terá a participação especial da Fanfarra Mazel Tov, inspirada na tradição festiva da música Klezmer, que leva na sua música a energia e a celebração da festa judaica.

Ainda na sexta, a talentosa cantora Misty e seu Grupo comemoram o 22ª aniversário do All of Jazz em um show que promete ser inesquecível. E a MC Lurdez da Luz se apresenta no Sesc Belenzinho. No sábado, o músico Derico Sciotti, conhecido saxofonista do Programa do Jô, movimenta a Estação Cultura, em Campinas, com o show “Pelo Telefone”. Na quinta, o contrabaixista Sidiel Vieira apresenta músicas do álbum “Traços Urbanos”, no JazzB.

Lurdes da Luz -foto divulgação -b

A MC Lurdez da Luz

Lurdez da Luz – 18/08, 21h30, R$ 20,00 (inteira); 10,00 (estudante e aposentado) e R$ 6,00 (credencial plena), Sesc Belenzinho – A MC Lurdez da Luz faz show intimista que reúne sua poesia dedicada à cidade de São Paulo. A apresentação conta com participação especial de Xênia França (potente voz da banda Alafia) e Marietta Vital (filha de Guilherme Arantes, parceira de Lurdez no projeto Mercurias). Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho – São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700.

Caravana Cigana – 18/08, 23h, R$ 25 até a meia noite e meia, R$ 35 depois desse horário, Centro Cultural Rio Verde – Mais uma edição especial da Caravana Cigana, que reúne música e aspectos típicos da cultura cigana. As bandas que se apresentarão no evento são a Orkestra Bandida, com a participação especial da dançarina Bruna Milani, e da banda Grand Bazaar. Haverá ainda uma intervenção na pista da Fanfarra Mazel Tov. Uma noite com muita música da Turquia, Macedônia, Trácia, Balcãs e região. Rua Belmiro Braga, 119 – Vila Madalena – São Paulo/SP

Misty – 18/08, 23h, R$ 38, All of Jazz – A talentosa cantora Misty e seu Grupo comemoram o 22ª aniversário do All of Jazz em um show inesquecível e com muita festa, bolo e champagne. Misty interpreta standards de Jazz que ficaram famosos nas vozes de Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Dinah Washington e também composições de João Donato, Carlos Lyra, Dolores Duran, Cristovão Bastos e revisitando “Babalu” de Angela Maria. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Stephane Fernandez Trio – 18/08 às 22h, R$ 35, JazzB – O guitarrista francês Stephane Fernandez estudou com alguns dos maiores guitarristas de jazz, como Pat Metheny, John Scofield e Mike Stern. Num show exclusivo no JazzB ao lado do baixista Thiago Espirito Santo e do baterista Carlinhos Mazzoni Stephane trará sua música pela primeira vez ao Brasil. O trio tocará composições do guitarrista e também interpretará standards da música brasileira, a qual Stephane vem se dedicando e pesquisando nos últimos anos. Com Stephane Fernandez (guitarra), Thiago Espirito Santo (baixo) e Carlinhos Mazzoni (bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Fábio Jorge – 19/08, 19h, Grátis (Retirar ingressos a partir das 14h), Sala Olido – O cantor paulistano Fábio Jorge apresenta o show “A Canção Francesa no Brasil”, no qual faz um resumo de sua carreira de intérprete de música francesa no País. Além de mostrar sucessos franceses, cantará músicas brasileiras traduzidas para o francês, versões do próprio cantor para composições de Milton Nascimento, Ivan Lins, Gonzaguinha e outros. E mais uma pequena mostra do repertório de seu novo álbum, em fase de gravação. Av. São João, 473, Centro, tel.: (11) 3331-8399.

Manu Le Prince – 19/08 às 22h, R$ 35, JazzB – A cantora francesa Manu Le Prince apresenta o repertório do seu álbum “BossaJazz For Ever- Homenagem ao Johnny Alf”, lançado em 2013. Com Manu Le Prince (voz),  Julian Le Prince Caetano (piano), Gaúcho (contrabaixo) e Douglas Andrade (bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Brazilian Horns Septet – 19/08, 23h, R$ 38, All of Jazz – O Septeto Brazilian Horns interpreta composições clássicas do jazz como “Four”, “All Blues”, “Milestones”, “So What”, “Summertime”, “Round Midnight”, “Stella By Starlight”, “My Funny Valentine”, entre outras. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Derico Sciotti

Derico Sciotti e Grupo Pelo Telefone se apresentam em Campinas

Derico Sciotti e grupo Pelo Telephone – 19/08, 16h, Gratuito, Estação Cultura (Campinas) – O músico Derico Sciotti, conhecido saxofonista do Programa do Jô, e o grupo Pelo Telephone movimentam a Estação Cultura com o show “Pelo Telefone”, em mais uma edição do Boteco na Estação. Na pauta, chorinho e outros ritmos que revisitam a riqueza da música brasileira de mestres como Pixinguinha, Cartola, Durval Ferreira, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Calado, na formação dois violões, cavaco, bandolim, flauta e percussão. Praça Marechal Floriano Peixoto, s/n, Centro, Campinas.

Ensemble OCAM – 20/08, 17h, Grátis, Instituto Tomie Ohtake – O grupo formado por instrumentistas da Orquestra de Câmara da ECA-USP faz apresentação com obras de compositoras contemporâneas, no encerramento da exposição “Invenções da Mulher Moderna, para Além de Anita e Tarsila”. O evento, que tem regência do maestro Gil Jardim, traz peças, algumas inéditas, das compositoras Léa Freire, Valéria Bonafé e Patrícia Lopes. Rua Coropés, 88, tel.: (11) 2245 1900, Pinheiros

Andre Schaeffer Trio – 21/08, 21h30, R$ 25, All of Jazz – O pianista Andre Shaeffer e seu Trio interpretam standards de jazz de Cole Porter, Gershwin, Duke Ellington, Dave Brubeck, Herbie Hancock, Miles Davis, John Coltrane e também temas de bossa nova de Tom Jobim, João Donato, Menescal, Carlos Lyra entre outros. Com Andre Schaeffer (piano), Xand Lima (baixo) e Douglas Andrade (bateria). Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Marcos Expósito Grupo – 22/08, 21h, R$ 25, JazzB – Formado por 7 músicos de 5 nacionalidades diferentes, o grupo liderado pelo contrabaixista, compositor e arranjador uruguaio radicado no Brasil Marcos Expósito apresenta o repertório presente no seu primeiro CD: “Ñande”, que em guarani significa ‘nós’. Com Marcos Expósito (baixo acústico e eléctrico), Gabriel Bertoul (guitarra), Samuel Cartes (piano), Rafael Chieffi (percussão), Estéfano Lovato (percussão), Lucia Spivak (voz e percussão) e Gaston Reggio (bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Sexteto São Paulo – 22/08, 22h, R$ 50, All of Jazz – A cantora Annick Lebois e seu Sexteto São Paulo interpretam standards de Jazz, clássicos da Bossa Nova, canções francesas e boleros. Com Annick Lebois (voz), Fabrizzio Mercante (guitarra), Herbert D.Smith (baixo), Herbert Lucas (sax), Robb J.Oliveira (piano) e Thiago Sapienza (bateria). Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Quartier Latin –  23/08, 21h, R$ 25, JazzB – O grupo franco-brasileiro Quartier Latin traz inusitadas misturas musicais dos dois países. A empatia pela França definiu a construção do repertório – clássicos de Edith Piaf, Jacques Brel e Serge Gainsbourg se encontram com sonoridades mais contemporâneas de Paris, como Zaz, Camille e Stromae, em arranjos com um tempero latino. Enquanto isso, o forró de Dominguinhos e o samba-rock de Simonal se juntam a versões francesas de Chico Buarque e Mutantes. Com Julia King (voz), Daniel Doctors (contrabaixo e ukulele), Rodrigo Scarcello (teclado e acordeom) e Camilo Zorilla (voz e bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Martin Mirol Quinteto – 23/08, 22h, R$ 30, All of Jazz – O bandoneonista Martin Mirol e seu Quinteto interpretam tangos clássicos que ficaram eternizados na voz de Carlos Gardel e também composições de Astor Piazzolla. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Sidiel Vieira Trio – 24/08, 21h, R$ 35, JazzB – Sidiel Vieira apresenta músicas do álbum “Traços Urbanos”, lançado virtualmente em agosto de 2017. O álbum, no entanto, não está disponível no Deezer. As composições de Sidiel têm suas raízes na música brasileira e influências da música universal e do jazz. Com Sidiel Vieira (contrabaixo e composições), Gabriel Gaiardo (piano) e Jônatas Sansão (bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Ricardo Paulino Trio – 24/08, 22h, R$ 30, All of Jazz – O pianista Ricardo Paulino e seu Trio interpretam standards de Jazz e também temas de Bossa Nova. Com Ricardo Paulino (piano), Ney Rocha (baixo) e Ricardo Teixeira (bateria). Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256.

Na Clave!

Hermeto Pascoal e Grupo

O post “Na Clave!” traz as dicas culturais do blog entresons. Hermeto Pascoal e seu quinteto realizam shows de lançamento do CD duplo “No Mundo dos Sons”, no sábado e no domingo no Jazz na Fábrica, no Sesc Pompeia, em São Paulo. Os ingressos para sábado já estão esgotados e, para o domingo, é preciso ter sorte para achar na bilheteria, porque na web os tickets também se esgotaram.

A turnê de lançamento do disco começou na quarta-feira, no festival Jazz & Blues em Jundiaí; nesta quinta-feira o show é em Piracicaba; e segue para Taubaté (16/8), Sorocaba (18/8), Bauru (19/8) e Presidente Prudente (23/8). Nas 18 faixas do CD há muita da criatividade magnífica de Hermeto Pascoal que, como Caetano Veloso já cantou em “Podres Poderes”, tem o dom de salvar a humanidade das trevas com seus sons e seus dons geniais. E nada mais. A banda é formada por Itiberê Zwarg, André Marques, Ajurinã Zwarg, Jota P. e Fabio Pascoal.

O cantor baiano Xangai faz o show do projeto “Xangai em Catingueiros”, com projeção de cenas captadas pelo diretor Ígor Penna no Sesc Santo Amaro, na sexta-feira. O acordeonista Mestrinho fará o mundo girar no Canto da Ema, no sábado. Na terça, o JazzB realiza evento gratuito: lançamento do livro “Esta vida: poemas escolhidos”, primeira coletânea no Brasil do poeta norte-americano Raymond Carver. O evento terá pocket show da banda Fábrica de Animais. E, na quarta-feira, o saxofonista Mauricio Mohamed e seu Quarteto fazem o lançamento do CD “Velvet Sounds”, no All of Jazz.

No mundo dos sons – 12 (esgotado) e 13/08 (venda apenas na bilheteria) – Jazz na Fábrica – Sesc Pompeia, R$ 12 (credencial plena), R$ 20 (meia estudantes), R$ 40 (inteira) – Hermeto Pascoal & Grupo realizam na cidade dois shows de lançamento do CD “No Mundo dos Sons”. Mais informações no site do Sesc. Ouça o CD!

Jazz na Fábrica – De 10 a 27 de agosto, o Sesc Pompeia recebe a sétima edição do Festival Jazz na Fábrica, uma celebração do gênero musical e todas suas vertentes. A programação busca evidenciar novos artistas, além de trazer nomes já consagrados da cena musical. Neste ano, a Fábrica da Pompeia abre suas portas para músicos e big bands de oito países: Brasil, Estados Unidos, Israel, Alemanha, África do Sul, Moçambique, Espanha e Gana. Mais informações no site do Sesc.

Giba Estebez Trio – 11/08, 23h, bar All of Jazz, R$ 38 – O pianista Giba Estebez e seu Trio apresentam o Show “Piano Jazz Masters”, interpretando temas dos grandes pianistas da história do Jazz como Fats Wallers, Duke Ellington, Count Basie, Oscar Peterson, Erroll Garner, Thelonious Monk, McCoy Tyner, Dave Brubeck, Bill Evans, Herbie Hancock e Chick Corea. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Xangai em “Cantingueiros” – 11/08, 21h, Sesc Santo Amaro, R$ 25,00 (inteira), R$ 12,50 (meia entrada), R$ 7,50 (credencial plena Sesc) – O cantor baiano Xangai faz o show do projeto “Xangai em Catingueiros”, com projeção de cenas captadas pelo diretor Ígor Penna, responsável pela websérie de mesmo nome. O artista Xangai comenta e interpreta quatro grandes compositores conterrâneos que representam a pluralidade da música baiana, como Bule Bule, Mateus Aleluia, Gordurinha e Elomar. A websérie inclui um CD com a coletânea das músicas. As gravações da websérie foram realizadas em abril de 2017, durante uma imersão de dez dias no sertão da Bahia, no sítio Ponta da Torta, município de São Gonçalo. Rua Amador Bueno, 505 – Santo Amaro.

Turucuto – 11/08, 22h, JazzB, R$ 35 – O duo argentino Turucuto, formado pela cantora Mercedes Maiztegui e pelo pianista Roque Céliz, apresenta o recém-lançado disco “Llenos de luna, bajan al mar”. Tucuruto propõe a fusão da poesia e dos ritmos do folclore argentino com rock, jazz e com a música experimental. Formado em 2013, suas canções misturam o eletrônico e o acústico, com ares folclóricos refletem também a paisagem urbana. A palavra “turucuto” vem de um termo que em Tucumán se refere à maneira de carregar as crianças conhecido em espanhol como “a caballito” ou “a cococho”. R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Bicho de Pé, 11/08, 22h30, Canto da Ema, R$ 34 – O Bicho de Pé tem 18 anos de atividade e é um dos grupos mais festejados do forró universitário. Com carreira internacional, os artistas são especialistas em ritmos dançantes do Norte e Nordeste como xote, baião, forró, xaxado e maracatu. Além de canções autorais, o grupo inclui no repertório desde clássicos de Luiz Gonzaga e até versões de Raul Seixas. Av. Brigadeiro Faria Lima, 364 – Pinheiros, São Paulo – SP, 05426-200. Telefone: (11) 3813-4708

Hector Costita e Joseval Paes – 12/08, 23h, bar All of Jazz, R$ 38 – O saxofonista e clarinetista argentino Hector Costita e o guitarrista Joseval Paes interpretam standards de Jazz de Cole Porter, Gershwin, Jerome Kern, composições de Gato Barbieri e Astor Piazolla. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Ludere – 12/08, 22h, JazzB, R$ 35 – Música instrumental brasileira, afro-samba. Philippe Baden Powell, pianista, compositor e filho do lendário violonista brasileiro Baden Powell, une-se ao trompetista, compositor e arranjador Rubinho Antunes, ao baixista e compositor Bruno Barbosa e ao baterista e também compositor Daniel de Paula em show com repertório de composições próprias do segundo disco do quarteto intitulado “Retratos”. R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Mestrinho_PaolaVianna2

Desde pequeno, Mestrinho foi influenciado pela música de Sivuca, Oswaldinho do Acordeon, Hermeto Pascoal, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Gilberto Gil, Milton Nascimento e Dominguinhos. Crédito da foto: Paola Vianna

Mestrinho e Nicolas Krassic – 12/08, 22h30, Canto da Ema, R$ 34 – O acordeonista Mestrinho toca acompanhado por Vinicinho Magalhães (zabumba), Michael Pipoquinha (baixo), Léo Rodrigues (percussão), Thiago dos Santos (cavaco) e Elton Moraes (triângulo). Mestrinho nasceu em uma família de músicos, em 1988, em Itabaiana, no Interior de Sergipe. Com DNA musical, aos 12 anos, começou a tocar em turnês de bandas da região onde morava. Desde pequeno foi influenciado pela música de Sivuca, Oswaldinho do Acordeon, Hermeto Pascoal, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Gilberto Gil, Milton Nascimento e Dominguinhos (com quem tocou por três anos). Com Gilberto Gil, embarcou em turnês em festivais de jazz na Europa, Israel e Uruguai e participou do CD Gilbertos Samba. Com Elba Ramalho, fez turnês nacionais e internacionais. Av. Brigadeiro Faria Lima, 364 – Pinheiros, São Paulo – SP, 05426-200. Telefone: (11) 3813-4708

Nando Nogueira – 13/08, 19h, Canto da Ema, R$ 34 – Nando Nogueira é considerado uma das grandes revelações do forró. Influenciado pela tradição de Luiz Gonzaga, o artista nascido na Bahia e radicado em São Paulo apresenta o projeto ForroZinho Bom, que surgiu em Salvador e faz uma grande homenagem à cultura nordestina. Cantor, compositor e instrumentista, ele venceu em 2015 o Fenfit (Festival Nacional de Forró de Itaúnas). Av. Brigadeiro Faria Lima, 364 – Pinheiros, São Paulo – SP, 05426-200. Telefone: (11) 3813-4708

Boris Karlik e Marcelo Manzano – 15/08, 22h, bar All of Jazz, R$ 25 – O cantor Boris Karlik acompanhado pelo pianista e cantor Marcelo Manzano interpretam clássicos da Bossa Nova de Tom Jobim, Marcos Valle, João Donato, Menescal, Vinicius de Moraes e também canções raízes da música brasileira de Noel Rosa, Cartola, Lupicínio Rodrigues, entre outros. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Lançamento de livro “Esta vida: poemas escolhidos” + Pocket Show de Fábrica de Animais – 15/08, 20h, JazzB, Gratuito – Primeira coletânea da obra poética de Raymond Carver em nosso país, “Esta vida: poemas escolhidos” reúne, em edição bilíngue, 50 poemas do autor norte-americano, selecionados e traduzidos por Cide Piquet com base em seus principais livros de poesia – “Fogos” (1983), “Onde a água se junta a outra água” (1985), “Ultramar” (1986) e “Um novo caminho para a queda d’água”, publicado postumamente em 1989. Haverá leituras do tradutor e dos poetas convidados: Bruna Beber, Fabiano Calixto, Fabrício Corsaletti, Leonardo Gandolfi, Marcelo Montenegro e Marília Garcia e também um pocket show da banda Fábrica de Animais, formada por Fernanda D’Umbra (voz), Sérgio Arara (guitarra) e Flávio Vajman (gaita). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Mauricio Mohamed Quarteto – 16/08, 22h, bar All of Jazz, R$ 25 – O saxofonista Mauricio Mohamed e seu Quarteto fazem o lançamento do CD “Velvet Sounds”, interpretando standards de Jazz de Gershwin, Cole Porter, Duke Ellington, temas de Bossa Nova e MPB de Johnny Alf, Tom Jobim, João Donato, Carlos Lyra, Menescal, Edu Lobo, Chico Buarque, Ivan Lins e Milton Nascimento. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Raquel Bernardes Quarteto – 16/08, 21h, JazzB, R$ 25 – Criado em 2015, Raquel Bernardes Quarteto é um grupo formado por jovens músicos que buscam unir diversas linguagens da música instrumental. “Palhaço”, “O Sonho” e “Cego Aderaldo”, músicas consagradas de Egberto Gismonti, são parte do show “Veredas”, nome dado pelo quarteto em homenagem ao famoso livro “Grande sertão: Veredas” do escritor João Guimarães Rosa, ídolo do compositor e multi-instrumentista. No show a banda mergulha em arranjos inéditos e de referências variadas mesclando música brasileira com outras referências mundiais como a música do sul da Índia, música contemporânea, jazz e experiências rítmicas dos séculos XX e XXI. Com Raquel Bernardes (voz), Conrado Vieira (piano e arranjos), Jackson Lourenço (baixo) e Jonatan Carvalho Goes  (bateria). R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Cecilia Rezende & David Pasqua Trio – 17/08, 22h, bar All of Jazz, R$ 30 – A cantora Cecilia Rezende, acompanhada pelo Trio do pianista David Pasqua, interpreta canções francesas de Edith Piaf, Jaques Brel, Charles Trenet, Charles Aznavour, Joe Dassin, Yves Montand, Michel Legrand e Francis Lai. Rua João Cachoeira, 1366 Itaim – São Paulo. Reservas fone (11)3849-1345 e email: reservas@allofjazz.com.br / WhatsApp (11)99271-2256

Brasilnomoto – 17/08, 21h, JazzB, R$ 35 – A música produzida pela pianista Makiko Yoneda ao lado de seus parceiros Rafael Esteves (bandolim), Edgar Paixão (baixo elétrico) e Cláudio Martins (percussão) tem como base o repertório de composições de Makiko, que trazem consigo um aspecto intimista, mesclando melodias de influência oriental aos ritmos brasileiros, que tanto encantaram a artista, e com espaço para a improvisação. Nascida na cidade de Chiba (Japão), Makiko estudou piano clássico dos 3 aos 18 anos. No entanto, avessa ao excesso de formalidades da música erudita, resolveu seguir outro caminho na sua busca profissional. Makiko já viajou por muitos países e desde 2011 vive em São Paulo e faz regularmente visitas ao Japão. Em 2015 lançou seu primeiro disco solo “Wa” com o qual excursionou pelo Japão. R. General Jardim, 43, República, 11 3083-5975.

Purgatório aromático

Eristhal Luz

O guitarrista, cantor e compositor Eristhal Luz se prepara para lançar seu primeiro trabalho autoral

Roger Marzochi, do entresons

Era como se do teto descessem estalactites, por onde escorria um ácido, que queimava o corpo dos viventes. Foi essa sensação que tive, em 2010, ao ouvir a música “Purgatório” ao vivo, dentro de uma das salas de ensaio do Estúdio Z7, do guitarrista, humorista e filósofo bissexto Tadeu Martinez. A Boom Project Band, que à época era formada por Chico Leibholz (bateria), Miro Dantas (baixo e sintetizadores) e Eristhal Luz (guitarra), acabara de ser criada. A banda ensaiava com frequência nesse estúdio da Vila Madalena naquela época, fazendo um rock instrumental psicodélico, uma mistura de surf music com funk. Seguiram-se muitos shows, o lançamento do CD da banda em 2011, e também, algumas despedidas, que geraram ainda mais arte.

O também artista plástico Miro Dantas resolveu se dedicar exclusivamente à pintura e ao estúdio de tatuagens, realizando um trabalho incrível. É dele, por exemplo, o projeto “Uma tatuagem por uma vida melhor”, no qual ajudou a recuperar a autoestima de mulheres que sofreram com o câncer de mama. Chico Leibholz está prestes a lançar um novo projeto, que se chamará Fluhe. “É instrumental trip noise”, define o baterista. E o guitarrista Eristhal Luz colocará na praça, nos próximos dias, “Aromáticas”, o seu primeiro trabalho autoral, que ficará disponível em plataformas de streaming de música. Sim, o discípulo do mexicano Carlos Santana é mais um adepto do lançamento de trabalhos apenas no mundo virtual, assim como a pianista, cantora e compositora Delia Fischer. Do “Purgatório” até a realização de seu primeiro trabalho autoral, o rock e o uso de sintetizadores continuam como marca registrada, mas desta vez, Luz ascende com a sua voz, em músicas que prometem irreverência, bom humor e provocação.

A primeira canção foi lançada há uns 15 dias: “Aromáticas” estreou com clipe no YouTube, já estremecendo com as regras de conduta do Facebook. Luz foi promover o clipe na plataforma de Mark Zuckerberg usando um giff provocativo, que fez com que a rede social o impedisse de dissipar as suas boas novas em decorrência da “quantidade excessiva de pele ou conteúdo sugestivo”. As cenas do clipe, com direção de Itaoã Lara e fotografia de Michel Will, foram gravadas em festa no bar Caos, que hoje foi assumido pelo Bar do Netão, na Rua Augusta, em São Paulo. Tatá Aeroplano e Luiza Lian, entre muitos outros artistas e boêmios,  participaram do clipe de muita ironia, amor e pegação, com beijos explícitos.

A música, cuja autoria Luz soma com Felipe Abdala, surgiu de uma cena hipotética: terminar a noite na casa de uma moça descolada na Vila Madalena, que adora velas aromáticas, num apartamento supermorderno, mas ao mesmo tempo, exotérico. Não está na letra, mas a cena hipotética (garante Luz, que é pai de família), termina com a visita da mãe da moça no apartamento, logo pela manhã. “A gente foi pirando nessa história hipotética e saiu essa música em alto astral”, explica Luz.

O lançamento do seu primeiro trabalho autoral tem grande significado. Nascido em Piraju, no interior do Estado de São Paulo, perto de Avaré, Luz chegou a capital em 2002, com o violão embaixo do braço. Entre a solidão e o cinza urbano da cidade, compôs uma série de canções que agora estarão no primeiro trabalho autoral, que contará com dez músicas. Com seis anos de idade, encontrou um violão embaixo da cama do pai e começou a brincar com o instrumento, despertando alegria no velho, que o levou a aprender música no dia seguinte. E os mestres ele nunca esquece. Fala com orgulho e alegria de ter estudado com Odeack Borges e Carlinhos Cassanho.

Uma vez em São Paulo, Luz caminhava a esmo pelas ruas, tentando buscar lugares para tocar. “Eu pegava e descia a Consolação até o fim, de bar em bar, pedindo para tocar. E ninguém trabalhava com música ao vivo mais”, lembra. Até que um dia, ele cutucou um rapaz na rua, pedindo ajuda para encontrar espaço para fazer um som. Essa boa alma o ajudou a encontrar o Bar do Netão, na Rua Augusta, criando o grupo “Os Augustos”. O bar do Netão representou para o músico muito do que havia experimentado no Clara Lua Bar, em Piraju, onde Luz aprendeu com os artistas Mael Marnho e Paulo Viggu a compor. O espaço cultural Puxadinho da Praça, na Vila Madalena, impulsionou Eristhal Luz ainda mais. Foi lá que ele conheceu o músico e compositor Rafael Castro e Guilherme D’Almeida, baixista do Terno e integrante da Grand Bazaar.

“Quando acabava a balada no Puxadinho, a gente ficava tocando um som no violão. E disseram que eu precisava gravar um disco, porque minhas músicas eram excelentes. Me colocaram num carro e fomos para Lençóis Paulista, cidade do Rafael. E começamos a produzir o disco junto com o Guilherme.” Quatro anos se passaram e finalmente o mundo, esse imenso purgatório, será agora um pouco mais aromático.

Na Clave!

João Donato e Donatinho -foto de Renato Pagliacci -b

João Donato e Donatinho – 4/08, 21h30, Ingresso: R$ 20 a R$ 6 – João Donato, o mago dos pianos, um dos mais importantes artistas brasileiros, lançou recentemente o primeiro álbum “Sintetizamor” junto com seu filho caçula, Donatinho. O disco traz uma sonoridade pop moderna, na qual o filho leva o pai ao seu universo sonoro. Na foto de destaque, clicada pelo fotógrafo Renato Pagliacci, é possível já perceber pelas roupas o tom futurista do trabalho. O disco foi produzido por Donatinho, que assina também os arranjos, e gravado no seu estúdio Synth Love (Rio de Janeiro). “Sintetizamor” traz 10 faixas inéditas assinadas por ambos, algumas em parceria também com Davi Moraes, Domenico Lancellotti e Rogê. No show, Donato & Donatinho tocam juntos e mostram os trabalhos individuais. O repertório traz – além das composições inéditas, como “Lei do Amor”, “Luz Negra” e “Ilusão de Nós” – clássicos da carreira de João Donato e músicas do disco Zambê, premiado trabalho autoral de estreia de Donatinho. Local: Comedoria do Sesc Belenzinho, Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho, São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700.

Grupo Corpo – 4 a 13/08 – Ingresso entre R$ 50 a R$ 160 – O Grupo Corpo apresenta o espetáculo “Gira” em quatro capitais, com patrocínio da Petrobras. A estreia ocorre em São Paulo. Com trilha sonora criada pelo trio paulistano Metá Metá, o espetáculo se inspira na umbanda, mais especificamente suas rodas cantadas e dançadas de culto a entidades, as chamadas “giras”. Em 40 minutos de apresentação, 21 bailarinos se transformam em veículos para a manifestação de espíritos, vagueiam, dançam em trios, duos ou solos. A coreografia foi criada por Rodrigo Pederneiras. Os figurinos, assinados por Freusa Zechmeister, são formados por saias brancas de corte primitivo e tecido cru. A trilha sonora conta com as participações especiais do poeta, ensaísta e artista plástico Nuno Ramos e da cantora Elza Soares em duas faixas. A iluminação fica a cargo de Paulo e Gabriel Pederneiras. Local: Teatro Alfa (Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro. Tel.: 11-5693-4000 / 0300-789-3377), Quartas e quintas, 21h. Sextas, 21h30. Sábados, 20h. Domingos, 18h., Setores I e II – R$ 160. Setor III – R$ 90,00. Setor IV – R$ 50., Venda online: www.ingressorapido.com.br.

“Seresta de Sexta” especial Adoniran Barbosa –  4, 11, 18 e 25/08, 20h às 21h30, Gratuito – Ao som dos seresteiros Trovadores Urbanos, a famosa Seresta de Sexta, que acontece toda sexta-feira do ano,  será dedicada a Adoniran Barbosa. Ele completaria 107 anos no dia 6 de agosto, caso estivesse vivo. Os fãs de João Rubinato poderão matar a saudade do sambista mais ilustre da terra da garoa. A plateia vai cantar junto os grandes clássicos do artista como  “Saudosa Maloca”, “Trem das 11”, “Iracema”, entre outros. Organizada e promovida pelos Trovadores Urbanos, a Seresta de Sexta acontece desde 2010. Com voz e violão, as apresentações geralmente são feitas em dupla e têm início na charmosa varanda da casa em Perdizes, onde também funciona o escritório do grupo. Um sobrado todo enfeitado de corações e luzinhas  coloridas. A  decoração é da artista plástica Daniela Saraiva, com cadeiras antigas, banquinhos de papelão reciclados, decorados com trechos de lindas músicas. Muro pintado pelo artista  plástico Sergio Fabris,  mostrando um coro de crianças, fazendo uma lembrança aos Trovadores Mirins. Um poste antigo, com uma luzinha de bola real, clima romântico e gostoso, seresteiro ao luar.  Casa dos trovadores, Rua Aimbere, 651, perdizes – São Paulo, Estacionamento: na rua, Show de rua, Indicação etária: livre.

Bruta Flor – 04/08 a 29/09, sempre às sextas-feiras, às 21h30, Ingressos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia) – A peça “Bruta Flor”, que provoca o espectador a refletir sobre homoafetividade e preconceitos nas relações amorosas, retorna ao cartaz, em curta temporada. A peça estreou em novembro de 2016 e ficou em cartaz por oito meses, em temporadas distintas, no Viga Espaço Cênico e no Teatro Augusta. Texto denso e potencialmente polêmico, que trata da homofobia internalizada e sua possível consequência trágica, despertou o interesse do ator Marcio Rosario em assumir a direção e a produção do espetáculo. “O tema não poderia ser mais atual: o Brasil vive uma onda de intolerância contra a diversidade sexual”, diz Rosario. O drama de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando de Barros aborda o relacionamento de dois homens, Lucas e Miguel, que se reencontram e começam a relembrar a trajetória deles, desde a adolescência. Miguel vai estudar em Londres e Lucas se casa com Simone, sua namorada desde o colégio, e lutam para realizar o grande sonho dele: ser pai. Após 12 anos, Miguel e Lucas se reencontram no metrô. Um reencontro que traz à tona sentimentos até então desconhecido para ambos. A peça tem trilha sonora de Cida Moreira e efeitos sonoros de Pedro Lemos, cenário de Reinaldo Patrício e figurinos de Amir Slama. Local: Teatro AugustaRua Augusta 943 – Cerqueira César, Informações: (11) 3151-4141, Sala Paulo Goulart, Ingressos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia), Duração: 80 minutos, Recomendação: 16 anos.

Banda Mamparra na foto de Isabel Tell

Banda Mamparra na foto de Isabel Tell

Mamparra no evento A Porta Maldita – 05/08 – 19h30 – Grátis – O termo ‘mamparra’ é usado na África como significado para ‘festa, celebração’. Possivelmente foi trazido para o Brasil pelos africanos e aqui ganhou também a conotação de ‘corpo mole’… Por exemplo, ‘estar com mamparra’ é fingir-se de doente para fugir de uma obrigação. A junção das definições fez com o quarteto, formado por Gustavo Araujo Borges (guitarra/voz), Maiana Monteiro (voz), Felippe Rodrigues (bateria), e Guilherme Mingroni (baixo), adotasse o termo como nome. Apesar de só agora estar lançando o primeiro CD, Mamparra, a banda existe há sete anos e começou, liderada por Gustavo, com o intuito de tocar músicas de Itamar Assumpção. Aos poucos foram chegando os amigos e o repertório se ampliou. Além de canções de Gustavo, criaram versões para músicas de Belchior, Jards Macalé e Gilberto Gil. Local: Praça General Oliveira Álvares, Pinheiros (entre as ruas João Moura e Abegoaria), São Paulo.

Marcos Pereira – 5 e 6/08 – Ingresso a R$ 30 e R$ 15 no sábado e gratuito no domingo – O músico Marco Pereira, um dos mestres do violão, participa como solista dos concertos da Orquestra Sinfônica de Campinas neste final de semana, no Teatro Castro Mendes. Na regência, o conhecido maestro Carlos Moreno. O repertório destaca obras dos compositores brasileiros como Osvaldo Lacerda (Abertura nº 1), Villa-Lobos (Sinfonietta nº1), além de peças do próprio solista (Abertura Brincantes, Suíte das Águas, Círculo dos Amantes, Violão Vadio). Local: Teatro Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/n. Vila Industrial. Campinas). Telefone (19) 3272-9359. Ingressos: Sábado – R$30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados), R$ 10,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências), R$ 5,00 (estudantes das redes municipal e estadual). Domingo: entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência. Classificação indicativa: 6 anos.

Leone da Gaita – 9/08, 21h, Ingresso: R$ 15,00 – Em apresentação solo – voz, violão e gaita – Leone da Gaita faz o show “Blues Acústico, do Mississippi a  Chicago”, com foco no blues dos anos 1920, 30 e 40. No repertório, clássicos do gênero assinados por lendários bluesmen. Entre eles, Robert Johnson (“Walkin Blues”, “Sweet Home Chicago”), Leadbelly (Goodnight, Irene”), Willie Dixon (“Just Like I Treat You”), John Lee Hooker (“Dimples) e (B. B. King “The Thrill Is Gone). Local: BRAZILERIA – Música, Sabor e Arte /Rua Clélia 285, Lapa, São Paulo, tel. 2628-4211 / Todos os cartões de crédito e de débito.

O Piano que Conversa – 9/08, Grátis – Uma imersão sonora e imagética que evidencia conexões humanas por meio da música. Essa é a premissa do documentário musical “O Piano que Conversa”, filme vencedor do Prêmio Petrobrás (Festival In- Edit Brasil) de melhor longa nacional, na categoria Júri Popular. No dia 09 de agosto, às 19h30, o filme será exibido no Centro Cultural São Paulo, na sala SPcine Paulo Emílio. Após a sessão, o diretor do documentário, Marcelo Machado e o  protagonista, Benjamim Taubkin conversam com a plateia. Simultaneamente, o filme estará sendo exibido em outras três salas da SPcine, na periferia da cidade – Spcine Vila Atlântica, Spcine Vila do Sol, Spcine Caminho do Mar e Spcine Paz. Todas as sessões serão gratuitas. Locais: Centro Cultural São Paulo sala Paulo Emilio (Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso), CEU Caminho do Mar (Rua Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241 – Jabaquara), CEU Paz (Rua Daniel Cerri, 1549 – Jardim Paraná/Brasilândia), CEU Vila Atlântida (Rua Venâncio Dias, 840 – Pirituba) e CEU Vila do Sol (Avenida dos Funcionários Públicos, 369 – Campo Limpo)

Duo Entre Latinos – 10/08, 21h. Ingresso: R$ 20,00 – O duo instrumental Entre Latinos reúne a brasileira Angela Coltri, flautista e saxofonista, e o colombiano José Valencia, violonista. O show é uma viagem musical pela América Latina. No repertório, canções como “El Patasdilo” (do colombiano Carlos Vieco), “Sabor a mi” (do mexicano Alvaro Carrillo), “Lágrimas negras” (do cubano Miguel Matamoros) e “Joaninha”, do peruano Sérgio Valdeos. E há ainda peças eruditas originais para flauta e violão, como “A História do Tango”, de Astor Piazzolla. Local: BRAZILERIA – Música, Sabor e Arte /Rua Clélia 285, Lapa, São Paulo, tel. 2628-4211 / Todos os cartões de crédito e de débito.

Andréa Chakur – 11/08, 21h. Ingresso: R$ 20,00 – Dona de uma voz lindíssima e de um berço musical fantástico, acompanhada por músicos de primeira linha, Andréa Chakur volta ao Brazileria apresentando um repertório de clássicos da música brasileira e standards de jazz. A cantora é acompanhada pelo trio “Os 3 de Abril”: Zé Roberto Araújo (guitarra e violão de 7 cordas), Sergio Del Carlo (bateria e percussão) e Marco “Capê” Capezzuto (contrabaixo). Filha e sobrinha das integrantes do Quarteto em CY, que completou 53 anos de carreira, Andréa teve toda a sua infância e adolescência muito próxima dessas lindas vozes, e considera sua principal escola. Local: BRAZILERIA – Música, Sabor e Arte /Rua Clélia 285, Lapa, São Paulo, tel. 2628-4211 / Todos os cartões de crédito e de débito.

Passoca - Foto Gal Oppido (5)

Passoca se apresenta no Brazileria fazendo homenagem a Adoniran. Foto de Gal Oppido.

Passoca – 12/08, 21h. Ingresso: R$ 35,00 – Compositor, cantor e violeiro, Passoca tem um trabalho associado tanto à música caipira quanto à Vanguarda Paulista. É sempre lembrado por sua “Sonora garoa”, que lançou em 1982. Mas fez muito mais: tem sete discos próprios, o mais recente deles “Suíte Paulistana”, de 2012. Um desses discos é muito especial: “Passoca Canta Inéditas de Adoniran”. Lançado em 2000, é o resultado de um mergulho de Passoca no baú de guardados do compositor. Quatorze letras deixadas por Adoniran receberam melodias de gente como Tito Madi, Zé Keti, Paulo Bellinati e o próprio Passoca, entre outros. Acompanhado do violonista Ronaldo Rayol, Passoca mais uma vez canta Adoniran Barbosa, numa homenagem ao autor de “Saudosa Maloca” – que em 6 de agosto estaria completando 106 anos. O repertório tem algumas das inéditas que lançou – entre elas “Lagartixa” (com música de Paulo Bellinati e Edson Alves), “Gulú gulú” (com música de Léo Romano) e “Roubaram a lagosta” (com música de Tasso Bangel). E, naturalmente, estarão também presentes alguns dos grandes clássicos de Adoniran, entre eles “Prova de Carinho”, “Samba do Arnesto” e “Trem das Onze”. Local: BRAZILERIA – Música, Sabor e Arte /Rua Clélia 285, Lapa, São Paulo, tel. 2628-4211 / Todos os cartões de crédito e de débito.

À Meia Noite Um Solo de Sax na Minha Cabeça – Temporada 16/08/2017 a 12/10/2017, com sessões Quartas e Quintas-feiras, às 21h, Ingressos – R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira), Classificação – 14 anos. – Com texto e direção de Mário Bortolotto a peça reestreia em São Paulo, em 16 de agosto, quarta-feira, às 21h, em nova temporada. Fábio Espósito e Henrique Stroeter interpretam Jesse e Billy, respectivamente. Eles são amigos desde a maternidade e suas vidas tomam rumos inesperados quando adultos. Entre 1950 e a passagem do ano de 1983 para 1984, eles compartilham, em 13 quadros, experiências pessoais, políticas e sociais pontuadas por ágeis trocas de figurinos e projeções de fatos reproduzidos em telão. “O foco é contar esse tempo, abordando a música, fatos jornalísticos, moda, pensamento político-social e, claro, o afeto e a lealdade entre esses dois amigos inseparáveis”, diz Espósito. Local: Teatro & Bar Cemitério de Automóveis, Rua Frei Caneca, 384 – Consolação. São Paulo – SP, Tel: (011) 2371-5744, Tempo de Duração – 55 minutos, Capacidade – 32 lugares – Acesso a cadeirantes.

Henrique Stroeter - foto Luiz Doro Neto

Interpretação do ator Henrique Stroeter na peça “À Meia Noite Um Solo de Sax na Minha Cabeça”, que entra em nova temporada a partir do dia 16 no Teatro & Bar Cemitério de Automóveis. Foto de Luiz Doro Neto

Douglas Mam & Os Famigerados fazem show no Estúdio Lâmina

foto: Luís Dávila

A banda participa da noite Allegro Ma Non Troppo, ao lado de Santiago Córdoba e Daniel Zé

Nany Gottardi, Locomotiva Cultural; Foto de Douglas Mam clicada por Luís Dávila

No dia 04 de agosto, às 23h, no Estúdio Lâmina, Douglas Mam & Os Famigerados participam do Allegro Ma Non Troppo. O evento reúne três músicos autorais tocando na mesma noite pela primeira vez. Mam, que tocará ao lado de Celso Gattaz, Murilo Sá, Rodrigo Cambará e João Rochetti, divide a noite com o argentino Santiago Córdoba, da banda Violentango e Daniel Zé.

Douglas Mam & Os Famigerados apresentam show autoral que integra música e poesia, mesclando canções, intervenções poéticas e haicais musicados. O repertório é formado por canções que vão do folk ao rock passando pelo jazz e pop.

Músico, compositor, arranjador e poeta, Mam já passou pelas bandas Os Babilaques, Os Pilotus e Dondoka Junkie.  Em 2014, iniciou seu trabalho como artista solo ao lado da banda Os Famigerados.

As canções apresentadas são fruto de 15 anos de composições e haikais musicados. Mam gravou um vídeo-single “Se Eu”,  dirigido por Celso Gattaz, que teve produção musical de Juliano Gauche e participação de Murilo Sá e Peri Pane. Douglas Mam arranjou músicas de compositores e letristas como Tatá Aeroplano, Julia Valiengo (Trupe Chá de Boldo) e Paulo Cesar de Carvalho – poeta com quem também tem parcerias. Além dos músicos Thomas Incao, Vitor Santhiago e Wilmar Santos, entre outros.

Douglas Mam & Os Famigerados no Estúdio Lâmina

Av. São João, 108 – sala 41

Telefone: (11) 3228-6815

Aceita cartões

R$ 20

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal