O pífano paulista de Zé Claudio e Banda Bambu

Ze Claudio e Banda Bambu

Há dez anos, um show mudaria a vida de Zé Claudio, em Botucatu, no interior de São Paulo. Flautista e saxofonista desde 1977, ele acompanhava o interesse de um amigo em construir pífanos. Mas o impulso definitivo que teve para investir sua vida no instrumento de bambu, cuja origem se mistura no Brasil com as flautas indígenas e os “pífaros” portugueses, ocorreu em 2005 quando se apresentou na cidade a banda Pífanos Matuá, de Campinas. “Eu já estava começando a fazer os meus pífanos. Depois que eles vieram prá cá, eu fiquei empolgado, e quis fazer uma banda também. E comecei a fazer o pífano procurando fazer afinado, fazia com afinador eletrônico, ia furando até conseguir a nota, para fazer a escala maior afinadinha”, conta o músico, que produz até 12 instrumentos por mês e lidera a Banda Bambu.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal