O papel da arte hoje é apontar caminhos, diz Benjamim Taubkin em debate sobre o filme “Eu Maior”

BENJAMIM_TAUBKIN_01

O papel da arte é chocar? Não é essa a opinião do músico Benjamim Taubkin que, durante uma palestra sobre a trilha sonora que ele criou para o filme “Eu Maior”, na Casa do Núcleo, revelou o que mais gostou do trabalho, que completa um ano de lançamento. O filme é um documentário sobre a busca do autoconhecimento e da felicidade, com base na experiência de vida de 30 pessoas, como artistas como o próprio Benjamim e líderes espirituais, cientistas, filósofos, escritores. Participaram do encontro os diretores do Fernando e Paulo Schultz, que planejam lançar um livro para aproveitar ainda mais todo o conteúdo gerado nas entrevistas. E, em meados do próximo ano, deverá ficar pronto um novo documentário, a princípio chamado de “Mais Amor”.

“Eu maior” completa um ano e motiva seis debates

Audiência de documentário ultrapassa um milhão na web.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal