Duo Calavento bebe nas águas de Bituca e da música mineira

Duo Calavento Capa CD

A música modal de Minas Gerais e o seu maior expoente, Milton Nascimento, inspiraram o violonista Diogo Carvalho e o violinista Leonardo Padovani a criarem a música “Calavento”, que mais tarde se transformou no nome do duo que lançou neste ano o seu primeiro CD, com uma magnífica arte da designer Malena Carvalho, digna de grandes quadros. O CD foi lançado em maio e, agora, em agosto, a dupla já tem oito shows agendados até o fim do ano, de Itajaí (SC) à cidade do Rio de Janeiro. A união de violino com violão, a princípio, pode parecer um tanto quanto impossível, talvez até mesmo irritante. Até mesmo pelo volume dos dois instrumentos, explica Diogo, que usa o seu violão não como acompanhante do violino, mas como se estivesse tocando outra música, solando ao mesmo tempo Leandro.

Templo budista inspirou Daniel Grajew a compor “Manga”, música que batiza o seu primeiro CD autoral

trio rosto 2 peq pb

O pianista e compositor Daniel Grajew, hoje com 35 anos, acompanhou uma cantora em 2008, participando da banda e dos arranjos. Com a moça, o grupo disputou um concurso de música promovido pelo Templo Zu Lai, em Cotia, na Grande São Paulo. O prêmio era uma viagem para realizar um show na China. O grupo foi desclassificado, mas para Daniel a visita ao maravilhoso templo budista e a meditação que ele conseguiu fazer naquele local foi o bastante para ele semear “Manga”, composição que foi gravada no álbum “Tudo Azul” em 2011, do Carlos Malta Quarteto, e que agora dá o título do primeiro disco gravado pelo pianista, com apoio dos recursos liberados pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac).

BIXIGA 70 TOCA SEU AFROBEAT NO SERRALHERIA DIA 14

Bixiga 70 - divulgação 2013 01 - créditos Nicole Heiniger (1)

No próximo dia 14 de agosto, o Serralheria, em São Paulo, recebe a big band de afrobeat Bixiga 70, às 23h. O grupo toca as músicas de seu segundo trabalho, lançado em setembro de 2013, incluindo os sucessos “Deixa a Gira Girá” (ponto de candomblé, já adaptado pelo trio baiano Os Tincoãs, em 1973); “Ocupaí”, “5 Esquinas”, “Kriptonita” e “Isa”. Sem título como o primeiro, o disco é totalmente independente e conta novamente com a mixagem do norte-americano Victor Rice. Com produção e arranjos de autoria da banda, o álbum reflete o aprofundamento em suas influências musicais, ao mesmo tempo em que aponta novos caminhos e sonoridade.

Fusão da música brasileira com a dos Bálcãs

Balkan Neo Ensemble (1)

A diversidade rítmica do Leste Europeu se encontra com a brasileira em concerto inédito com os grupos Bálkãn Neo Ensemble e Quarteto de Cordas da Sinfônica da Unicamp. A apresentação acontece em Campinas, no Teatro Castro Mendes, na quarta-feira (6 de agosto), às 20h. A realização é do Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural da Unicamp (Ciddic). Com instrumentos exóticos e tradicionais, os músicos irão destacar temas tradicionais que mostram semelhanças com a rítmica brasileira, como o kiutchek, que, segundo o oboísta búlgaro, Martin Lazarov, fundador do Bálkan Neo Ensemble, lembra o nosso tão popular baião.

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana completa 6 anos

OBMJ

Para comemorar o seu 6º aniversário, a Orquestra Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ) promove um grande show no dia 20 (domingo), às 18h, no Centro Cultural São Paulo. Com dois discos lançados, em que a influência dos acordes brasileiros se dilui em ritmos como o ska, rocksteady e earlyreggae, a OBMJ toca os clássicos da música brasileira nos estilos musicais jamaicanos dos anos 50, 60 e 70.

Bixiga 70 faz show no projeto “Som em 4 Tempos”

Bixiga 70 - divulgação 2013 01 - créditos Nicole Heiniger (1)

O Bixiga 70 participa do último dia de show do projeto “Som em 4 Tempos” no dia 20 de dezembro (sexta-feira), na sala Guiomar Novaes, às 20h. Representante da nova cena musical, o grupo explora o território de fusão da música instrumental africana, latina e brasileira em composições próprias e versões de artistas brasileiros, como Luiz Gonzaga, Pedro Santos e Os Tincoãs.

Dani & Debora Gurgel Quarteto faz sucesso no Japão

Tower Records

Os músicos Dani Gurgel, Debora Gurgel, Thiago Rabello e Sidiel Vieira retornaram ao Brasil revigorados no fim de setembro após shows realizados no Japão e nos Estados Unidos. Integrantes do Dani & Debora Gurgel Quarteto, eles acabam de lançar no exterior o excelente CD “Um”, com uma agenda de shows em São Paulo desde o início de outubro. O CD tem dez músicas, sendo três arranjos para composições de João Bosco e Aldir Blanc, Rod Temperton e Hermeto Pascoal. As outras sete músicas inéditas são resultado de composições próprias de Dani e Debora com parceiros como Edu Krieger, Guilherme Ribeiro e Fábio Cadore.

Nenê comemora 50 anos de carreira com CD “Inverno”

Nene Trio

A sincronicidade das vozes de “Inverno”, 12º álbum solo do baterista Nenê, é de se admirar. Com o contrabaixista Alberto Luccas e o pianista Írio Júnior, o Nenê Trio apresenta no trabalho dez primorosas composições do baterista, que “reafirmam a plena liberdade composicional do baterista, elemento chave da sua poética musical peculiar e marcante”, como define a agência de comunicação Ofício das Letras, que em conjunto com a assessoria do Instrumental Sesc Brasil, divulgam o show de lançamento, na segunda-feira (07/10), no Sesc Consolação.

“Duos” promove encontros musicais inusitados no Recife

Combinar apenas pandeiro com trombone ou bandolim com sax. Essa é a proposta do projeto “Duos – Música Instrumental Brasileira”, que começa nesta quinta-feira (03/10) no Recife com apresentação de Marcos Suzano (RJ), no pandeiro (percussão) e Nilsinho Amarante (PE), no trombone. Serão seis shows até o dia 19 de outubro, a serem realizados sempre às 20h no Centro Cultural Correios, no Bairro do Recife. A entrada é franca, mas os ingressos devem ser retirados no Centro Cultural com duas horas de antecedência.

Grupo Araticum se antecipa à natureza

Araticum Fpepegmaraes

Já é época de o araticum florescer no cerrado, dentro de um ciclo de vida que faz surgir um dos frutos mais deliciosos do Brasil. Adiantado no tempo, o homem já apresenta os seus frutos em forma de som. O Grupo Araticum, criado há três anos, lançou “Tarde”, o seu primeiro disco, em show no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, no dia 15 de setembro. O disco pode ser conferido no site http://grupoaraticum.com.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal