Refugiados promovem festa multicultural em SP  

Abraço Cultural

A festa “Aquele Abraço Cultural- 2ª edição” irá reunir refugiados, imigrantes de várias partes do mundo e brasileiros no sábado, dia 30 de julho, das 13h às 19h, na Praça Dom Orione, no bairro do Bixiga, em São Paulo. A celebração, aberta e gratuita terá atrações como música, dança, gastronomia, artes visuais, jogo, moda, artesanato, além de um debate sobre Refúgio e Diversidade Cultural, tatuagem síria de hena e caligrafia árabe. O evento celebra 1 ano do projeto Abraço Cultural www.abracocultural.com.br e será realizada em parceria com o Espaço 13.

Independente de luz no fim do túnel

Eduardo Kobra Tahiti Maio 2015

Estados Unidos, Moscou, Itália, Emirados Árabes, Taiti, Suécia, Polônia, Japão. Eduardo Kobra jamais imaginaria no fim da década de 1980 que os desenhos que pichava nos muros de São Paulo, que lhe renderam várias prisões, chegariam um dia tão longe. Com a evolução de sua técnica e o reconhecimento de sua arte, Kobra é hoje um cidadão do mundo. Mas, quando começou, era apenas um garoto pobre do bairro Campo Limpo visto como vândalo que emporcalhava a cidade. Após tantas realizações, ele revela que o seu maior sonho agora é se “aproximar mais de Deus” e valorizar as pessoas que sempre estiveram com ele em todas as suas fases: “quem pegou ônibus na periferia de SP, e sempre esteve comigo, merece estar comigo em todos os lugares onde cheguei”, diz Kobra. Essa busca por Deus se intensificou nos últimos dois anos.

Som na Rural chega a São Paulo com shows gratuitos

Rural

O projeto cultural pernambucano Som na Rural, promovido por Roger de Renor, ganha as ruas de São Paulo entre os dias 7 a 21 de junho, com shows no Capão Redondo, Largo do Paissandu, Praça da República, Minhocão e Diadema. Com a finalidade de valorizar o espaço público, as apresentações são gratuitas e realizadas na rua, usando como palco e cenário uma Rural Willys 1969, do produtor Niltinho Pereira, um dos idealizadores do projeto, patrocinado pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura PE). Entre os artistas que se apresentarão na Rural estarão Karina Bhur, Grupo Bongar, Trummer SSA, Zé Brown, entre outros. O Som na Rural já passou por Brasília, no final de abril.

Meditação para crianças no Dia Mundial do Brincar

baixa resolucao (3)

A Meditação com Tambores celebra o Dia Mundial do Brincar, neste domingo, dia 31 de maio, com uma programação especial para as crianças. A educadora Cristiane Velasco contará a história “A Véia da Gudéia”, acompanhada pela rabeca de Mariana Corado e pelos tambores de Mônica Jurado e Patrícia Alcântara. O conto foi criado em 2001 por Cristiane Velasco e seus alunos no espaço de educação infantil Casa Redonda Centro de Estudos, a partir do pesadelo de uma criança de 5 anos. A história narra as aventuras de uma bruxa brasileira, reunindo cantigas e danças tradicionais. O nome da personagem foi “emprestado” de uma lenda da Pedra do Baú (São Bento do Sapucaí/SP). O evento é direcionado a adultos e crianças, que poderão brincar de meditar. “Ouvir histórias é uma forma ancestral de meditar e de autoconhecimento”, explica Mônica Jurado.

Trovadores Urbanos promovem show de relaxamento e meditação

Trovadores Urbanos

Nos sábados dias 16, 23 e 30 de maio, às 21h, o grupo Trovadores Urbanos vai cantar no escuro, numa experiência de relaxamento. O evento vai ocorrer no Armazém da Cidade, na Vila Madalena, misturando as suaves músicas brasileiras interpretadas pelos Trovadores com uma vivência conduzida pelo mestre de meditação e yoga Sandro Bosco, autor do livro “Meditação para quem acha que não consegue meditar”.

Tambores guiam viagem do autoconhecimento

Meditação com Tambores1

O topo de uma montanha, uma praia, um deserto, uma floresta e até a barriga da mãe. Essas são algumas das paisagens internas para onde são transportados os participantes de uma forma muito interessante de se buscar o autoconhecimento: a meditação estimulada pelo som de tambores xamânicos. Há um ano e meio, Mônica Jurado, Cristiane Velasco e Patricia Alcantara iniciaram em São Paulo o projeto “Meditação com Tambores”, unindo técnicas de meditação ao poder transformador da música. “A meditação com tambores nasceu como síntese de todas as abordagens diferentes em relação à meditação e ao espaço sonoro”, explica Mônica, que além de tocar tambor durante as apresentações, canta e também guia os participantes com suas sugestões de sensações que se sucedem ao longo do processo.

Somos todos Elis

Elis Regina - Marcos Tavares Costa - MTC

É preciso fazer uma reflexão sobre questões delicadas no mundo da música, no mundo da arte e da comunicação, partindo de um dos grandes ícones da música brasileira: Elis Regina. Em 2015, ao completar os 33 anos da morte da cantora, circulou em janeiro um texto que, sem dúvida, acertou ao lembrar daquele triste 19 de janeiro de 1982. Mas em meio às necessárias homenagens à diva, acredito ter se excedido. Os exageros são próprios dos fãs, familiares e amigos. E jornalista pode ser – ao mesmo tempo – fã e amigo, não há qualquer problema nisso. Não ouso em fazer “apologia” à “isenção” no jornalismo que, sabemos todos, é impossível, especialmente no jornalismo cultural, no qual a matéria-prima é a emoção. A questão é que o exagero surge no ápice da desarmonia entre o que é produzido no Brasil e o que é divulgado pela indústria cultural.

O papel da arte hoje é apontar caminhos, diz Benjamim Taubkin em debate sobre o filme “Eu Maior”

BENJAMIM_TAUBKIN_01

O papel da arte é chocar? Não é essa a opinião do músico Benjamim Taubkin que, durante uma palestra sobre a trilha sonora que ele criou para o filme “Eu Maior”, na Casa do Núcleo, revelou o que mais gostou do trabalho, que completa um ano de lançamento. O filme é um documentário sobre a busca do autoconhecimento e da felicidade, com base na experiência de vida de 30 pessoas, como artistas como o próprio Benjamim e líderes espirituais, cientistas, filósofos, escritores. Participaram do encontro os diretores do Fernando e Paulo Schultz, que planejam lançar um livro para aproveitar ainda mais todo o conteúdo gerado nas entrevistas. E, em meados do próximo ano, deverá ficar pronto um novo documentário, a princípio chamado de “Mais Amor”.

“Eu maior” completa um ano e motiva seis debates

Audiência de documentário ultrapassa um milhão na web.

Espetáculo “Sabiá” faz reflexão sobre o golpe de 1964

CorridoSabia-7 Foto Rodrigo Reis (1)

O espetáculo Sabiá, com texto e direção de Paulo Faria reestreia no 22 de novembro 2014 às 21h30 para uma curta temporada, na sede Luz do Faroeste, depois de passar pelo MuBE Nova Cultural em junho e julho e viagens pelo Interior de São Paulo. Livremente inspirada na canção de Chico Buarque e Tom Jobim, a montagem traz a reflexão sobre os 50 anos do Golpe Militar, como recorte e espelho do que foi e é a realidade de muitas famílias e amigos daqueles que se posicionaram contra e em ação direta ao regime totalitário. A temporada vai até o dia 30 de novembro de 2014.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal