Dário Arruda cobra da Soundscape a “manutenção da MPB”

Dario Arruda

A maioria dos músicos da Soundscape leciona na Escola Municipal de Música de São Paulo e na Escola de Música do Estado de São Paulo (Emesp-Tom Jobim) e, com certeza, passam aos novos músicos o que gostam, que é o jazz. “Prá mim, na minha humilde opinião, isso gera um efeito dominó, pois esta influência traz a resposta e a continuidade da raiz americana e não a manutenção na MPB”, diz Dário Arruda, líder da Orquestra Urbana Arruda Brasil e herdeiro do Cangaceiro, saxofonista e arranjador. O músico se esquece que, além da grade currícular dos cursos que independe do gosto do professor, há professores como Débora Gurgel, Magno Bissoli e Guilherme Ribeiro.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal