Pergunte a um poeta, mas nunca a um ditador

Adylson Godoy foto de Claudia Souza

O destino entrelaça caminhos de forma inacreditável, colocando muitas vezes opressores e oprimidos lado a lado. Foi o que aconteceu com o pianista e compositor Adylson Godoy em 1980, quando se apresentou na casa do ditador João Figueiredo. Adylson, que completa 50 anos de carreira, foi censurado pela Ditadura, proibido de gravar “Heroica” e “O General e o muro”. Mas também fez trincheira de resistência. “Eu perguntei a ele (Figueiredo) se o Brasil tinha jeito. E ele, com um copo de uísque na mão, me disse: ‘você já viu cobertor curto?’”, diz Adylson, que 35 anos depois da resposta, chega a usar a mesma metáfora para se referir ao Brasil hoje. Pode se pode completar 50 anos de carreira e achar que Figueiredo estava certo? Seu único deslize talvez seja o de perguntar a um ditador algo que só um poeta pode responder.

Social



Licença de uso

Licença Creative Commons
Os textos do Entresons são publicados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.
Você pode reproduzir, retransmitir e distribuir o conteúdo, desde que com crédito (ao site e ao autor do texto), para uso não-comercial e com uma licença similar.

Próximos shows

Assinar: RSS iCal